Denúncias de maus tratos contra animais sobem durante a pandemia 

A Delegacia Eletrônica de Proteção Animal registrou 4.500 denúncias desse tipo de crime no primeiro semestre de 2020, o que representa um aumento de 10% em relação ao mesmo período do ano passado

  • Por Jovem Pan
  • 13/08/2020 07h08 - Atualizado em 13/08/2020 08h28
A presidente da Uipa, Vanice Teixeira Orlandi, diz que a procura por adoções aumentou durante a pandemia, mas destaca que muitas acabam não sendo concretizadas

As denúncias de maus tratos contra animais aumentaram durante a quarentena no Estado de São Paulo. A Delegacia Eletrônica de Proteção Animal registrou 4.500 denúncias desse tipo de crime no primeiro semestre de 2020. Isso representa um aumento de 10% em relação ao mesmo período do ano passado. As autoridades apontam dois fatores como responsáveis por essa elevação: em primeiro lugar, as pessoas estão mais tempo em casa, prestando mais atenção a possíveis casos. Por outro lado, o crescimento também está ligado a questões psicológicas impulsionadas pela pandemia, como o estresse gerado pelo isolamento e pela crise de saúde e financeira. O capitão da Polícia Militar Ambiental, Flávio Sukaits, explica a importância de fazer denúncias da forma correta.” “Eu diria que mais de 90% das denúncias são trotes. Então pedimos que em emergências, aquele animal está sendo maltratado naquele momento, sejam denunciadas pelo 190. Agora casos em que o vizinho tem uma desconfiança que está acontecendo alguma coisa, ele pode usar a delegacia eletrônica”, afirma.

A União Internacional Protetora dos Animais (Uipa), que existe há mais de 120 anos, recebe cães e gatos abandonados e vítimas de maus-tratos. Atualmente, a instituição abriga 600 animais – cerca de 90% deles são vira latas. Alguns chegam com traumas e problemas de comportamento e, por isso, acabam não sendo adotados e passam o resto da vida no local. A presidente da Uipa, Vanice Teixeira Orlandi, diz que a procura por adoções aumentou durante a pandemia, mas destaca que muitas acabam não sendo concretizadas. “A procura por adoção aumentou cerca de 400%, mas não a adoção efetivamente porque muitas pessoas vêm procurando animais pequenos”, explica. O deputado federal Fred Costa, do Patriotas de Minas Gerais tentou levar a bandeira contra aos maus-tratos ao dia a dia dos brasileiros. O parlamentar, que é presidente da Frente de Defesa e Proteção dos Animais, pediu para que o Banco Central usasse a imagem de um cachorro vira-lata na nova cédula de R$ 200. A solicitação, que reuniu mais de 120 mil assinaturas na internet, não pode ser atendida, já que as novas notas já estão sendo impressas com a figura do lobo-guará. O deputado federal Fred Costa afirma, no entanto, que o Banco Central se comprometeu a realizar ações para combater os maus-tratos aos animais.

*Com informações da repórter Beatriz Manfredini