Depoimento secreto do ex-governador do Rio Wilson Witzel à CPI é adiado

Oitiva foi adiada por causa dos últimos fatos turbulentos envolvendo a comissão, como a prisão do ex-diretor ligado ao Ministério da Saúde, críticas a militares, nota do Ministério da Defesa, entre outros fatos

  • Por Jovem Pan
  • 09/07/2021 11h00
WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDOA nova oitiva de Witzel à CPI ainda não tem data marcada

O novo depoimento do ex-governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel à CPI da Covid-19 não vai mais acontecer nesta sexta-feira, 9, como estava programado. A oitiva vai ser remarcada. Segundo fontes da Jovem Pan, esse depoimento, que seria colhido no Rio a pedido da defesa de Witzel, foi adiado por causa dos últimos fatos turbulentos envolvendo a Comissão Parlamentar de Inquérito, como a prisão do ex-diretor ligado ao Ministério da Saúde, críticas a militares, nota do Ministério da Defesa, entre outros fatos. Wilson Witzel promete, em novo depoimento a portas fechadas a senadores da CPI, fazer revelações bombásticas, que poderiam atingir integrantes do governo federal e pessoas ligadas ao presidente Jair Bolsonaro. Witzel já foi ouvido em junho em Brasília, mas agora ele teme pela vida e pela integridade física, tanto que os advogados dele têm pedido frequentemente à CPI uma proteção especial. O ex-governador foi impichado do governo fluminense neste ano acusado de crime de responsabilidade. Os crimes cometidos estariam ligados a compras e contratações emergenciais para enfrentar a pandemia de Covid-19.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga