Dia dos Professores: profissionais falam em recomeço na pandemia da Covid-19

No segundo semestre de 2021, 47,8% dos docentes já classificam a própria saúde mental como “boa” ou “excelente”, enquanto em 2020 apenas 26% afirmavam estar bem para lecionar

  • Por Jovem Pan
  • 15/10/2021 07h13 - Atualizado em 15/10/2021 08h37
WERTHER SANTANA/ESTADÃO CONTEÚDOProfessores tiveram que se reinventar durante a pandemia da Covid-19

Mais do que nunca, é necessário um olhar atento ao professor, peça fundamental no processo de aprendizagem. Hoje, celebramos a determinação e a criatividade desses profissionais que promovem o ensino, mesmo com as limitações impostas pela pandemia da Covid-19. Chamados de mestres, muitos tiveram que aprender e se adaptar a uma nova realidade: o ensino remoto. Se os desafios foram muitos, as vitórias também. Uma pesquisa feita pela Nova Escola mostra que a saúde mental foi um dos temas mais comentados entre os educadores, dentro e fora de sala de aula. Felipe Cavalcante é professor do ensino fundamental e fala que a pandemia mexeu com o lado psicológico de todos. “Nós ficamos por mais de um ano no ensino online e, nesse tempo, muita coisa aconteceu. Os professores precisaram se adaptar de alguma forma. E, no início, foi a educação, ainda é uma preocupação muito grande, mas o socioemocional que bateu nesse período também foi muito grande”, comentou.

O segundo semestre desse ano revelou que 47,8% dos profissionais da Educação Básica classificam a própria saúde mental como “boa” ou “excelente”. Em 2020, somente 26% dos professores afirmaram que estavam bem para lecionar. Karina Padial é a coordenadora de formação de professores da Nova Escola. Ela ressalta a importância de investir em redes de apoio para superar a dificuldades. “Os professores precisam ser ouvidos e acolhidos, porque não só eles tem muito a dizer sobre como resolver as questões que estão postas nesse contexto de pandemia, mas porque eles que tem a formação mais próxima tanto da realidade dos desafios que eles estão enfrentando quanto dos desafios e realidades que os alunos estão enfrentando”, afirma. Para a Karina, é fundamental valorizar o conhecimento do professor e todas as suas potencialidades. Que os educadores não sejam homenageados somente neste 15 de outubro.

*Com informações da repórter Juliana Tahamtani