Distrito Federal avalia desobrigar uso de máscaras a partir de novembro

Governador Ibaneis Rocha estima que flexibilização deve começar em áreas abertas

  • Por Jovem Pan
  • 26/10/2021 06h18 - Atualizado em 26/10/2021 10h40
LUCAS PRATES/HOJE EM DIA/ESTADÃO CONTEÚDOSegundo o governador Ibaneis Rocha, a diminuição dos índices de transmissão do coronavírus dão confiança para a retirada do item de proteção

O uso de máscaras em lugares abertos no Distrito Federal pode deixar de ser obrigatório a partir do próximo mês. O anúncio foi feito pelo governador Ibaneis Rocha nesta segunda-feira, 25, após a inauguração de uma Unidade Básica de Saúde (UBS). Ele argumentou que a diminuição dos índices de transmissão do coronavírus dão confiança para a retirada do item de proteção. “Em relação a áreas abertas, espero que na primeira quinzena de novembro a gente já possa retirar as máscaras durante este período. E aí mais adiante, quando a gente atingir em torno de 80% de pessoas vacinadas, a gente pensar, tudo isso com base técnica, na retirada de máscaras em ambientes fechados”, afirmou.

Dados da secretaria de saúde do DF apontam que quase 87% da população acima de 12 anos já recebeu a primeira dose, enquanto 60% já tomaram as duas doses ou a dose única de imunização. Atualmente, a taxa de transmissão está em 0,78, o que significa que 100 pessoas infectadas podem transmitir a doença para outras 78. Quando a taxa de transmissão está abaixo de 1, a pandemia é considerada controlada. No entanto, mesmo com o índice positivo, o infectologista Leandro Correa Machado acredita que a retirada das máscaras, neste momento, é uma decisão arriscada. Ainda que as vacinas reduzam o risco de agravamento da Covid-19, elas não garantem o fim da transmissão do vírus.

“Experiências já na Inglaterra, Israel, eles perceberam que mesmo com uma grande porcentagem da população vacinada, eles não conseguiram controlar a transmissão. Por isso, a Inglaterra está começando a exigir o uso de máscara, porque já tinham flexibilizado”, afirma o médico. Ele acredita que, se for retirada a obrigatoriedade do uso de máscaras, os casos de infecção no Distrito Federal podem voltar a crescer. “A gente corre o risco de ter um aumento no número de infecções. Então, nós precisamos ainda de medidas complementares, distanciamento social, uso de máscara, uso de álcool gel e a vacinação da população”, pontuou. O uso de máscaras em ambientes abertos e fechados é obrigatório no Distrito Federal desde abril do ano passado.

*Com informações da repórter Paola Cuenca