Doria diz que R$ 58 bi economizados da Previdência irão para a saúde e educação

  • Por Jovem Pan
  • 07/03/2020 09h58
RAUL FARIA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOGovernador também criticou os protestos que aconteceram dentro da Alesp na terça-feira, durante a votação em segundo turno do projeto

Os R$ 58 bilhões que serão economizados em 15 anos com a reforma da Previdência serão aplicados pelo governo de São Paulo em áreas como saúde e educação. O texto da proposta foi sancionado nesta sexta-feira (6) pelo governador João Doria, ao lado do presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Cauê Macris (PSDB).

A reforma foi aprovada em segundo turno com 59 votos favoráveis e 32 contrários. De acordo com o governador tucano, o Legislativo foi corajoso ao ajudar na sustentabilidade financeira do estado.

“Se continuassemos sem a reforma da Previdência, em menos de cinco anos SP teria a sua falência e o caos sem a possibilidade de pagar seu funcionalismo, tanto os da ativa, quanto os inativos. A Assembleia Legislativa fez justiça ao permitir, com essa correção e com a reforma, orientar recursos a quem efetivamente precisa de recursos provenientes do Estado”.

O governador também criticou os protestos que aconteceram dentro da Alesp na terça-feira, durante a votação em segundo turno do projeto da reforma da Previdência estadual. “Quero aproveitar aqui para lamentar atitudes dessa natureza, ameaçando, agredindo, e estabelecendo o confronto e o emparedamento como forma de fazer valer a sua ideia. Isso não é democracia, isso é vandalismo, e vandalismo é crime”.

Doria já havia anunciado que será usada a ferramenta de reconhecimento facial para identificar os manifestantes que depredaram o prédio da Alesp. De acordo com ele, essas pessoas terão que reembolsar o Estado pelos prejuízos causados, avaliados em R$ 200 mil.

* Com informações da repórter Nicole Fusco