Eduardo Leite diz ter mais chances de ser eleito em 2022 e nega pedido para adiar prévias do PSDB

Em entrevista à Jovem Pan News, governador do Rio Grande do Sul afirmou estar confiante na sua vitória interna do partido em primeiro turno no próximo domingo, tornando-se candidato à presidência da República

  • Por Jovem Pan
  • 16/11/2021 09h09 - Atualizado em 16/11/2021 12h07
Reprodução/Facebook/Eduardo LeiteO governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, disputa a chance de ser o candidato oficial do PSDB à presidência da República em 2022

O governador de São Paulo, João Doria, e o ex-senador Arthur Virgílio divulgaram notas na última segunda-feira, 15, afirmando que o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, havia pedido adiamento das prévias do PSDB. O fato causou uma certa crise no partido. Em resposta, Leite fez publicação no Twitter dizendo que a informação é falsa e que ele e toda equipe estão trabalhando com absoluta confiança na vitória. Em entrevista ao vivo ao Jornal da Manhã desta terça-feira, 16, o governador do Rio Grande do Sul voltou a negar o pedido de adiamento. Ele também disse que acredita ter mais chances de ser eleito presidente da República em 2022, já que possui mesmo patamar de intenção de votos de Doria nas pesquisas, mas rejeição muito menor.

“A nota claramente tenta criar um factoide na reta final da decisão do PSDB. Tentam criar algum tipo de fato que desestabilize uma vantagem que a gente tem dentro das prévias, querendo dar a entender que estaríamos querendo postergar com alguma outra intenção. Não é absolutamente verdade. Houve uma reunião ontem com representantes das candidaturas em que se abriu um debate a respeito de algumas falhas que ainda se observam em relação ao aplicativo. Outras candidaturas sugeriram que se fizesse a votação presencial dos mandatários e que eventualmente até se desprezasse ou diminuísse o peso dos filiados que votassem pelo aplicativo. O que foi falado nessa discussão que houve ontem é que é melhor garantir pelo aplicativo a votação de maior número de pessoas, mesmo que, eventualmente, fosse necessário um adiamento, do que fazer uma votação no dia 21 com um número menor de participantes. Essa foi a questão num debate, numa discussão entre os representantes das candidaturas, que são filiados do partido, antes de mais nada, querendo achar o melhor caminho para que esta decisão nas prévias se dê com toda legitimidade que precisa ter, para definição da candidatura por parte do PSDB. Colocar que houve encaminhamento, pedido de adiamento, é, sem dúvida nenhuma, infelizmente, a tentativa de criar um factoide nesta semana derradeira das prévias do PSDB. Da nossa parte, as prévias acontecem no dia 21, com todos os filiados votando aí pelo aplicativo”, explicou Leite.

Comparando-se aos oponentes internos do partido, o governador do Rio Grande do Sul afirmou que os possíveis governos deles seriam muito semelhantes, já que são do mesmo partido, mas que ele possui mais chances de vitória na corrida eleitoral de 2022. “A gente tem muita convergência sobre como o governo deva se organizar, as políticas públicas que devam ser priorizadas, não quer dizer que a gente pense exatamente igual, mas a gente tem muita convergência de pensamento. O que a gente chama ao debate é quem tem mais chances de ganhar a eleição, já que nós pensamos da mesma forma, um governo seria semelhante, guardadas algumas ressalvas. As pesquisas estão indicando isso. Temos um mesmo patamar de intenção de votos, mesmo que eu seja bastante menos conhecido, e a rejeição a outras candidaturas, especialmente a do governador de São Paulo, é mais do que o dobro da nossa rejeição. Isso não é nenhum ataque, não estou dizendo que a rejeição seja justa, me parece até injusta, pelo que eu conheço e acompanho do trabalho que faz o governador João Doria, que acho que é uma pessoa séria e que trabalha bastante e que busca entregar resultados ao seu Estado. Mas é um fato, essa rejeição é muito elevada, no patamar das candidaturas que hoje estão polarizando. E isso dificulta muito o caminho para o PSDB buscar protagonizar o próximo processo político. Ou seja a gente tem mais espaço para crescer, pra conversar com o eleitor, conseguir sensibilizar as pessoas a partir do conhecimento, que é a fragilidade que eu tenho, me tornar mais conhecido, mas não é a rejeição que tem a outra candidatura. Então a gente tem mais possibilidade de crescer e de ganhar essas eleições”, analisou. Leite ainda destacou estar confiante para as prévias eleitorais no próximo domingo, 21, e disse que existe uma vantagem entre os eleitores. “Estamos na liderança, não cabe aqui fazer estimativa de percentual, mas nós temos muita confiança de que teremos uma vitória no primeiro turno das prévias no próximo dia 21. A gente acompanha, como você tem um colégio eleitoral definido, não vou dar números, dados, mas a gente confia muito fortemente na vitória”, finalizou.