Eficácia de vacinas contra variantes do coronavírus deve ser apresentada nesta semana

Especialistas avaliam proteção dos imunizantes após novas mutações descobertas

  • Por Jovem Pan
  • 22/02/2021 10h58 - Atualizado em 22/02/2021 14h48
EFE/EPA/Liam McBurney Os especialistas apontam que a nova cepa estará em todos os estados brasileiros

A eficácia das vacinas sobre as variantes do coronavírus deve ser apresentada nesta semana. O coordenador da Rede Corona-ômica, do Ministério da Ciência e Tecnologia, Fernando Spilki, avalia que até o momento as análises demonstram mais transmissibilidade do vírus, mas ainda não é possível falar em maior gravidade da doença. “Eu diria que nós vamos poder dizer ‘olha a vacina ela pode ou não enfrentar essa ou aquela dificuldade’ e como podemos ir adiante para vencer, caso ocorra esse tipo de desafio que se interpõe pelo caminho”, afirmou. Fernando Spilki avalia a possibilidade da atualização das vacinas sobre as variantes do coronavírus. “Nesse meio tempo, muito provavelmente, vamos contar com proteção clínica da vacinação. Essas correções vão ser importantes para imunidade de rebanho, para menor circulação do vírus. Mas a vacina deve proteger clinicamente ao longo do tempo mesmo com algumas diferenças. Então é importante que se mantenha a intensificação do programa de vacinas e havendo necessidade de correção não é algo de outro mundo, é possível fazer sim.”

O momento é delicado porque as variantes são apontadas como as responsáveis pela explosão de casos de Manaus, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro e cidades como Araraquara, no interior de São Paulo. Os especialistas apontam que a nova cepa estará em todos os estados brasileiros. O Ministério da Saúde confirmou o estado de alerta após a circulação de duas variantes no Rio Grande do Norte, a P.1, identificada em Manaus, e a P.2, registrada no Rio de Janeiro. No início do ano, o estado recebeu 50 pacientes transferidos de Manaus. A imunologista, Ana Carolina Barreto, lamenta a falta de vacinas para conter o avanço da doença no Brasil. “Infelizmente, nós vamos ver uma restrição de atividades em alguns lugares. Talvez seja a única medida para controlar um pouco o avanço das infecções e da disseminação das variantes”, disse. Um informe publicado neste final de semana por uma rede de cientistas que monitora o genoma do vírus alerta que as mutações registradas em Manaus e no Rio de Janeiro estão circulando desde dezembro em Natal, no Rio Grande do Norte, em João Pessoa e mais duas cidades da Paraíba.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos