Em evento, Temer e embaixador da China defendem relações bilaterais entre países

Yang Wanming afirmou que a demanda interna na China é grande, mas o país está fazendo o possível para cooperar com outras nações

  • Por Jovem Pan
  • 13/04/2021 07h33
SUAMY BEYDOUN/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO - 03/09/2020 Michel Temer de máscara Temer afirmou que a multilateralidade é necessária para a sobrevivência dos Estados

O ex-presidente Michel Temer defendeu a importância das relações internacionais para o Brasil. Em uma videoconferência realizada nesta segunda-feira, 12, por um grupo de empresários, Temer afirmou que a multilateralidade é necessária para a sobrevivência dos Estados. Além disso, segundo o ex-presidente, ela incentiva a harmonia entre os países. “Tudo isso, a revelar, portanto, a importância dessa universalização, dessa multilateralidade, dessas relações internacionais muito próspera. Ela não só incentiva o comércio como incentiva a industrialização aqui no Brasil como incentiva a paz entre os países.”

Também presente no evento, o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, disse que o relacionamento bilateral entre os dois países está cada vez mais maduro e robusto. Ele afirmou que a demanda interna na China é grande para o combate a pandemia, mas que, mesmo assim, o país está fazendo o possível para cooperar com outras nações, principalmente com o Brasil. “Para enfrentar esses desafios de forma eficaz, fortalecer a União em vez de criar divisões. Focar no consenso em vez de fomentar confrontos. Levar a cooperação em vez de provocar a dissociação.”

O embaixador chinês lembrou, ainda, da conversa entre o novo ministro brasileiro das Relações Exteriores, Carlos França, e o ministro dos Negócios Estrangeiros da China, Wang Yi, na semana passada. De acordo com o Itamaraty, os chanceleres concordaram na urgência do combate à pandemia e da cooperação em vacinas contra a Covid-19, IFAs e medicamentos. A relação entre os dois países sofreu abalos durante os dois anos em que Ernesto Araújo esteve à frente do Ministério.

*Com informações da repórter Nicole Fusco