Lira e Pacheco pedem a secretário-geral da ONU antecipação do envio de vacinas da Covax

Liderado pela Organização Mundial da Saúde, o consórcio tem previsão de entregar ao Brasil 42 milhões de doses

  • Por Jovem Pan
  • 13/04/2021 06h17
EFE / Rajat Gupta / ArchivoNa ligação, Arthur Lira leu para Guterres uma carta, enviada no fim de março, na qual menciona as mais de 300 mil mortes por Covid-19

Os presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco, e da Câmara, Arthur Lira, pediram que a entrega de vacinas contra a Covid-19 ao Brasil seja antecipada pelo consórcio Covax Facility. Eles conversaram por telefone com o secretário-geral da ONU, António Guterres. Pelas redes sociais, ambos informaram que explicaram a Guterres a situação grave em que o país se encontra na pandemia. Eles pediram que o Brasil se torne prioridade na entrega de imunizantes. Liderado pela Organização Mundial da Saúde, o consórcio Covax Facility tem previsão de entregar ao Brasil 42 milhões de doses da vacina de Oxford com a AstraZeneca.

Na ligação, Arthur Lira leu para Guterres uma carta, enviada no fim de março, na qual menciona as mais de 300 mil mortes por Covid-19 no Brasil. O documento afirma que o país já comprou as vacinas necessárias, mas precisa de ajuda da comunidade internacional para acelerar o fluxo de entrega. Para o mês de abril, a previsão total do recebimento de vacinas pelo Ministério da Saúde é de 25,5 milhões de doses dos imunizantes de Oxford e da CoronaVac. O número é bem abaixo da previsão inicial apontada pelo ministro Marcelo Queiroga, que era de 47,3 milhões.

*Com informações do repórter Levy Guimarães