Entrevista de Biden atraiu mais audiência do que a de Trump, diz pesquisa

Entrevista de democrata foi assistida por mais de 14,1 milhões de pessoas e de republicano foi vista por 13,5 milhões de telespectadores; eleições ocorrem dia 3 de novembro

  • Por Jovem Pan
  • 17/10/2020 07h46 - Atualizado em 17/10/2020 12h47
EFE/EPA/OLIVIER DOULIERYCandidato Joe Biden falou por duas horas

A entrevista concedida pelo democrata Joe Biden na última quinta-feira, 15, atraiu mais audiência do que a do republicano Donald Trump. A participação do ex-vice-presidente na emissora ABC foi assistida por 14,1 milhões de pessoas, enquanto a do presidente norte-americano para a NBC foi acompanhada por 13,5 milhões de telespectadores. Os dados revelados pela Nielsen consideram a audiência dos três canais que exibiram a conversa com Trump. Biden ficou no ar das 20h da noite até às 22h, enquanto Trump começou às 20h e encerrou às 21h.

Durante os 60 minutos que os dois candidatos deram entrevistas simultâneas, Biden chegou a liderar com 14 milhões e 300 mil telespectadores. Os concorrentes à Casa Branca marcaram as entrevistas no horário que deveria ocorrer o segundo debate presidencial. O confronto foi cancelado depois que o republicano foi diagnosticado com Covid-19 e se recusou a participar virtualmente. A menos de 20 dias da eleição presidencial, os candidatos têm intensificado a campanha em Estados considerados decisivos. Pela terceira vez em menos de dois meses, o democrata Joe Biden esteve em Michigan, onde a candidata do partido Hillary Clinton perdeu por apenas 11 mil votos no último pleito.

Na ocasião, Biden fez um discurso para defender a lei de acesso à saúde popularmente conhecida como Obamacare que, segundo os democratas, corre riscos diante da indicação da juíza Amy Coney Berrett à Suprema Corte. O rival, Donald Trump, esteve na Flórida nesta sexta, 16. Em um discurso, o republicano disse que fechou uma parceria para fornecer vacinas contra o coronavírus para idosos em casas de repouso. O presidente norte-americano também esteve na Geórgia, estado que costuma eleger republicanos, mas que tem apontado para uma vitória dos democratas. Neste sábado, Trump, também tem compromisso eleitoral em Michigan. De acordo com o US Election Project, cerca de 20 milhões de cédulas foram depositadas nas urnas até sexta-feira. A essa altura, na corrida eleitoral de 2016, apenas 6 milhões de americanos tinham votado em algum candidato.

*Com informações da repórter Nanny Cox