Espanha tem nova noite de confrontos após prisão de rapper que criticou monarquia

Sentença foi anunciada em 2018 e Pablo Hasél deveria ter se entregado à Justiça na sexta passada

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 18/02/2021 08h40
EFE/Enric Fontcuberta - 17/02/21Artista foi condenado a nove meses de prisão por exaltar o terrorismo e atacar a família real espanhola em redes sociais e letras de música

A Espanha registrou mais uma noite de confrontos após a prisão de um rapper que criticou a monarquia e as forças policiais do país. Os distúrbios que começaram na Catalunha na terça-feira, 16, se espalharam por outras cidades. A capital Madri registrou confrontos violentos entre policiais e manifestantes no centro da cidade. Ao menos 14 pessoas foram presas. Os manifestantes lançaram garrafas e pedras nos policiais, que revidaram com balas de borracha.

Em Barcelona, a noite de protestos também teve muita confusão e terminou com 29 detidos. Os manifestantes pedem a libertação do rapper Pablo Hasél. Ele foi preso na terça-feira na cidade de Lleida, na Catalunha. O artista foi condenado a nove meses de prisão por exaltar o terrorismo e atacar a família real espanhola em redes sociais e letras de música. A sentença foi anunciada em 2018 e Pablo Hasél deveria ter se entregado à Justiça na sexta passada.

Ele resistiu até terça e mobilizou uma série de protestos ao redor do país para tentar defender a sua liberdade de expressão. Hasél, que é vinculado à manifestações da extrema esquerda na Espanha, desencadeou debate no país sobre até onde ideias e posicionamentos podem ser propagados em público. As manifestações desta semana são formadas na maioria por jovens que classificam as leis e instituições espanholas de fascistas e que insistem na liberdade do rapper.