Ex-presidente do BC, Persio Arida defende teto de gastos e lamenta baixo incentivo à ciência

Economista ressaltou a importância da revisão de despesas do setor público e da necessidade de aprovação das reformas estruturantes

  • Por Jovem Pan
  • 22/04/2021 10h51 - Atualizado em 22/04/2021 10h51
NILTON FUKUDA/ESTADÃO CONTEÚDOSobre a reforma tributária, Persio Arida ressaltou que o sistema brasileiro não permite a criação de novos impostos

O economista Persio Arida, um dos formuladores do Plano Real, defende o teto de gastos e lamenta o pouco apoio do governo à ciência e cultura. O ex-presidente do Banco Central avalia que a estrutura de despesas do setor público precisa ser totalmente revista. Ele classifica como necessárias as reformas tributária e administrativa, além das privatizações. “Se você relaxar o teto de gastos, a experiência mostra e estou afirmando, o gasto vai expandir na direção errada. Olha o que acontece agora no Orçamento”, disse, sugerindo a ampliação de recursos para setores indispensáveis. Crítico do governo federal, o economista Persio Arida afirmou, durante live ao jornal Valor Econômico nesta quarta-feira, 21, que a ignorância, a incompetência e a ideologia não deixam o Brasil avançar.

Questionado sobre uma alternativa a Jair Bolsonaro e Lula na eleição de 2022, o ex-presidente do Banco Central desconversou. “Você não consegue inventar um nome nessa altura do campeonato, os nome são esses que estão aí. Você tem aí bons nomes, entende? Não aventuraria dizer que tem mais condição ou menos condição de ganhar eleições porque não é a minha especialidade.” Sobre a reforma tributária, Persio Arida ressaltou que o sistema brasileiro não permite a criação de novos impostos. O economista defende a simplificação, como forma de melhorar o ambiente de negócios no país.

*Com informações da repórter Caterina Achutti