Excluído de reunião ministerial, Mourão falta a evento sobre Amazônia com Bolsonaro

Ausência mais sentida na solenidade foi a do vice-presidente, coordenador do Conselho da Amazônia; na terça-feira, 9, o governo lançou o programa ‘Adote um Parque’

  • Por Jovem Pan
  • 10/02/2021 08h49
GABRIELA BILÓ/ESTADÃO CONTEÚDOO vice-presidente Hamilton Mourão e o presidente da República, Jair Bolsonaro,

O governo do presidente Jair Bolsonaro lançou na terça-feira, 9, o programa “Adote um Parque”. O vice-presidente Hamilton Mourão, coordenador do Conselho da Amazônia, porém, não esteve presente no evento que marca uma importante mudança na gestão ambiental brasileira. Depois de passar boa parte dos últimos dois anos em pé de guerra com o presidente da França, Emmanuel Macron, por divergências na gestão ambiental, o governo federal mudou o discurso e deixou clara a intenção de se aproximar dos franceses. O governo lançou um novo projeto no qual a iniciativa privada adota parques florestais pelo país. Bolsonaro comemorou o fato da primeira parceria ter sido firmado com uma rede de supermercado francesa. “Não tem porque Brasil e França se distanciarem. Afinal de contas, somos vizinhos. A maior fronteira da França, é o Brasil. 730 quilômetros de fronteira. Nós temos que ser amigos”, disse o presidente se referindo à fronteira com a Guiana Francesa.

O programa “Adote um Parque” permite que pessoas físicas e jurídicas, nacionais e internacionais, doem bens e serviços para contribuir com a proteção de parques florestais. Segundo o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, ao contrário da privatização, quando as empresas se tornam responsáveis pela administração dos parques, nesse caso, as empresas financiam parques que permanecem sob gestão federal. Empresas brasileiras vão pagar R$ 50,00 por hectare enquanto para as estrangeiras, o valor da contribuição será de 50 euros. O presidente reforçou o discurso de que o Brasil é o país que mais preserva o meio ambiente e assegurou que o setor e a agricultura caminham juntos. A primeira fase do programa será focada na Amazônia com 132 unidades de conservação que estão disponíveis para serem adotadas. A ideia é arrecadar R$ 3,2 bilhões ao ano.

Por conta disso, a ausência mais sentida na solenidade foi a do vice-presidente Hamilton Mourão, coordenador do Conselho da Amazônia. O ministro do Meio Ambiente encerrou uma entrevista quando foi questionado sobre Mourão não estar presente. O vice-presidente também não foi convidado para a tradicional reunião ministerial das terças-feiras. O encontro, no Palácio do Planalto, reuniu todos os ministros, menos o das Comunicações, Fabio Faria, que está fora do país.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin