Fala de Bolsonaro sobre Bivar divide PSL; parlamentares veem tentativa de ‘assumir’ partido

  • Por Jovem Pan
  • 09/10/2019 06h38
Alan Santos/PRBolsonaro disse que presidente da sigla está "queimado"

O presidente Jair Bolsonaro deu início, nesta terça-feira (8), a uma polêmica agora com seu o próprio partido, o PSL. Ao conversar com um apoiador na saída do Palácio da Alvorada, em Brasília, ele foi gravado dizendo que o presidente da legenda, o deputado Luciano Bivar, estava “queimado”, e que o militante deveria “esquecer o partido”.

A afirmação fortalece a tese negada repetidamente pelo governo de que o presidente pode deixar a sigla. O porta-voz da presidência da República, Otávio Rêgo Barros, já havia negado a possibilidade diversas vezes. Após a fala de Bolsonaro, no entanto, o discurso mudou. “O presidente não me autorizou a fazer comentários específicos a esse tema e vos adianto que, se assim ele achar adequado, no devido momento, ele fará seus pronunciamentos”, afirmou Barros.

No Congresso Nacional a avaliação dos parlamentares é que as declarações do presidente são, na verdade, uma tentativa não de sair do partido, mas de assumir a liderança da legenda. O hoje presidente do PSL, Luciano Bivar, é um dos nomes citados em investigações sobre supostas irregularidades na campanha eleitoral do ano passado.

Assim como o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio, Bivar também é supostamente acusado de ter utilizado candidaturas laranja para desviar dinheiro o fundo que financia campanha para mulheres. Ele também defende o fim da regra que destina 30% dos recursos para as candidaturas femininas.

O senador Major Olímpio (PSL) admitiu surpresa com as declarações de Bolsonaro. Ainda de acordo com o parlamentar, o “PSL é Bolsonaro”, um partido que cresceu, na verdade, por conta dele. Sobre as especulações de que o presidente estaria querendo deixar o partido, ele avalia que isso “não faz sentido” e que seria como se “alguém que mora sozinho decidisse fugir de casa”.

Ainda segundo Olímpio, se Bolsonaro tiver algum problema, é melhor resolver essa questão internamente do que procurar uma outra legenda. O senador também defendeu Bivar e disse que não considera que ele está queimado dentro do partido.

No senado, a Comissão de Transparência, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor, aprovou, por unanimidade, um requerimento apresentado pelo senador Randolfe Rodrigues convocando o ministro do Turismo para prestar esclarecimentos sobre as denúncias de candidaturas laranjas no PSL. A sessão está marcada para o dia 22 de outubro.

O ministro, que já havia sido convidado outras três vezes, a primeira em março, ainda não apareceu. Como agora se trata de uma convocação, no entanto, ele é obrigado a comparecer à comissão. Marcelo Álvaro Antonio foi indiciado na semana passada pela Polícia Federal (PF) e os senadores querem explicações detalhadas sobre a prisão de um deu seus assessores, além de sobre a utilização de candidaturas laranjas para o desvio de recursos eleitorais.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin