Família de mulher esfaqueada 23 vezes por namorado na Grande SP pede justiça

Rosilene Ribeiro foi socorrida e seu estado de saúde é considerável estável

  • Por Jovem Pan
  • 09/12/2020 09h04
Reprodução/Rádio Jovem PanUm pedido de prisão temporária foi expedido pela Polícia contra Claudemir Vicente Fernandes, mas ele ainda não foi localizado

A Polícia de São Paulo procura Claudemir Vicente Fernandes, de 44 anos. Ele é suspeito de ter esfaqueado 23 vezes a recepcionista Rosilene Ribeiro, com quem namorava há 6 meses — desde que se conheceram pela internet. A irmã da vítima, Fabiana Ribeiro, conta que o comportamento de Rosilene mudou depois que os dois se conheceram. “Eu fiquei muito tempo sem falar com ela. Tipo um mês sem falar, falar mesmo. Pelo WhatsApp era de vez em quando, ficava mais de uma semana sem falar com ela. Antes não, a gente se falava praticamente todo dia.”

O casal morava em uma casa em Carapicuíba, na região metropolitana de São Paulo, há praticamente um mês. No dia 29 de novembro de 2020, quase meio dia, quando Rosilene estava se arrumando para ir trabalhar, o companheiro entrou no quarto, fechou as janelas e a porta e despejou uma leiteira com água quente na cabeça dela. Depois, desferiu as 23 facadas com uma faca de cozinha, que atingiram principalmente a cabeça, os braços e o tórax de Rosilene. Um sobrinho de Claudemir que morava perto da casal ouviu os gritos de Rosilene e a socorreu. Ela foi encaminhada para o Hospital Geral de Carapicuíba, onde passou por cirurgias.

O estado de saúde dela é considerado estável. Um pedido de prisão temporária foi expedido pela Polícia contra Claudemir Vicente Fernandes, mas ele ainda não foi localizado. Fabiana Ribeiro, irmã da vítima, diz que só quer justiça. “O que eu falo é que eu quero justiça. A gente está indignado com esse caso. Eu não posso deixar isso impune”, disse. De janeiro a outubro deste ano, foram registradas 271 tentativas de homicídios contra mulheres no Estado de São Paulo, como a que aconteceu com Rosilene. Felizmente, ela não entrará para a estatística de feminicídios, que já fez 141 vítimas nesse mesmo período.

*Com informações da repórter Nicole Fusco