Governo de SP reforça apelo contra aglomerações nas festas de fim de ano

Em uma semana, o Estado registrou aumento de 3% nos casos da Covid-19 e de 6% dos óbitos pela doença

  • Por Jovem Pan
  • 22/12/2020 07h33 - Atualizado em 22/12/2020 09h52
MISTER SHADOW/ASI/ESTADÃO CONTEÚDOJean Gorinchteyn lembra que muitas aglomerações acontecem dentro das casas, ambientes em que não há qualquer fiscalização 

O governo de São Paulo espera reverter sinalização negativa das operadoras de telefonia para continuar com o Sistema de Monitoramento Inteligente. A secretaria de Desenvolvimento Econômico enviou um ofício nesta segunda-feira, 21, para manter as doações dos dados durante o próximo ano, mas as empresas disseram que ainda não conseguem renovar o pacto. O acordo feito no início da pandemia tem validade até 31 de dezembro e permitiu localizar aglomerações a partir de informações fornecidas pelas operadoras. Segundo a secretária Patrícia Ellen, a adesão às medidas de restrição tem reduzido significativamente. “Nós tivemos no sábado 41% no Estado, 39% na capital; 45% no domingo no Estado e 49% na capital. Lembrando que os níveis pré-pandemia eram em 25 e 30%, então ainda temos um contingente expressivo de pessoas que estão em casa respeitando o isolamento, mas precisamos reforçar essa mensagem em especial no final do ano.”

Em uma semana, o Estado registrou aumento de 3% nos casos, 6% dos óbitos e uma leve queda de 1% nas internações. Quando comparado com o último mês, os casos tiveram incremento de 54%, os óbitos registraram alta de 34% e as internações, 13%. O secretário da Saúde, Jean Gorinchteyn, lembrou que o número de fiscais quintuplicou e fez um apelo aos paulistanos sobre as festas de fim de ano. “Por mais que nós façamos essas avaliações, essas fiscalizações, nós temos que entender que muitas dessas aglomerações acontecem dentro das casas, em ambientes privados em que qualquer fiscalização ou qualquer sentido da polícia, por exemplo, não teria qualquer sentido”, disse. As taxas de ocupação de leitos de UTI estão em 61,8% no Estado e 66,8% na Grande São Paulo. Desde o início da pandemia, São Paulo registrou mais de 1,3 milhão de casos confirmados da Covid-19, com mais de 45 mil óbitos pela doença.

*Com informações da repórter Nanny Cox