Governo faz acordo para garantir 30 milhões de seringas e agulhas até o fim de janeiro

O Ministério da Saúde planeja adquirir, no total, mais de 300 milhões de unidades dos materiais para vacinação contra a Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 05/01/2021 05h23 - Atualizado em 05/01/2021 08h30
EFE/Javier Cebollada/ArchivoNa primeira compra, o Ministério da Saúde conseguiu fornecedores para apenas 2,3% de seringas e agulhas necessárias

O governo federal se apressa para conseguir comprar seringas e agulhas suficientes para o plano de vacinação contra o coronavírus. No entanto, na primeira compra, o Ministério da Saúde conseguiu fornecedores para apenas 2,3% de seringas e agulhas necessárias. Por isso, a pasta fez uma requisição administrativa dos estoques de fabricantes nacionais desses produtos. Isso significa que essas empresas só poderão vender o material excedente à pasta. Segundo o ministério, a medida atinge fabricantes representados pela Abimo, a Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos e Odontológicos, enquanto não se conclui o processo licitatório normal.

Nesta segunda-feira, 04, houve reunião do setor com representantes do ministério. Ficou acertado que as fábricas irão fornecer 30 milhões de seringas e agulhas para o governo federal até o final deste mês. Este primeiro lote será uma compra emergencial, já o edital para a compra das 300 milhões de seringas e agulhas deve sair na próxima semana. O Brasil produz cerca de 1,3 bilhões de unidades por ano. Para a vacinação contra a Covid-19, serão necessárias mais de 300 milhões nos próximos 12 meses e 400 milhões para 2022.

*Com informações do repórter Fernando Martins