Instabilidades reduziram ganhos com a Black Friday, aponta levantamento

96% das empresas apresentaram problemas e 46,5% ficaram fora do ar, somando 9 horas e 25 minutos; problemas causaram perdas de R$ 36 milhões

  • Por Jovem Pan
  • 02/12/2021 08h09 - Atualizado em 02/12/2021 12h27
27/11/2020 - WALLACE MARTINS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOBlack Friday ocorreu na última sexta-feira, 26

O balanço da Black Friday e da Cyber Monday aponta instabilidades que causaram perdas de R$ 36 milhões ao e-commerce. A empresa Sofist monitorou 116 lojas virtuais com grande acesso das 22 horas da quinta-feira, 25, até às 23 horas e 59 minutos da segunda-feita, 29. O CEO Bruno Abreu explica que a perda menor em relação ao ano passado, 25%, está relacionada à situação econômica mais difícil, inflação de dois dígitos, alta nos combustíveis, na energia e nos alimentos. “Teve menos gente acessando, menos gente comprando, junto do fato dos varejistas também estarem com uma expectativa muito positiva, como foi no ano passado. Só que no ano passado a gente teve um fator que ajudou muito às vendas aumentarem, que foi o fato de todo o mundo estar receoso de sair de casa, por mais que já tivesse registro de lojas físicas abertas, mas muita gente está sem querer sair de casa e ter um problema de saúde”, comentou. No período analisado, 96% das empresas apresentaram problemas em algum momento e 46,5% ficaram fora do ar, somando 9 horas e 25 minutos de indisponibilidade. O tempo de carregamento médio entre os e-commerces foi de 3,9 segundos.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos