Israel endurece segundo lockdown após aumento de casos de Covid-19 no país

O anúncio do premiê Netanyahu foi alvo de críticas da oposição, que o acusam de endurecer as regras para encerrar protestos

  • Por Jovem Pan
  • 25/09/2020 06h24 - Atualizado em 25/09/2020 08h15
EFE/EPA/Peter FoleyNesta quinta-feira (24), milhares de pessoas passaram pelo aeroporto de Tel Aviv temendo que o tráfego aéreo seja paralisado novamente

Israel endureceu o segundo bloqueio total no país, em vigor há quase uma semana, na tentativa de conter a alta de novos casos de coronavírus. A partir desta sexta-feira (25), apenas setores considerados essenciais seguem funcionando. As sinagogas só terão permissão para abrir no Yom Kippur, o feriado judaico que começa na tarde de domingo. Em outras ocasiões, apenas a oração ao ar livre com um máximo de 20 pessoas será permitida. As mesmas restrições foram aplicadas a qualquer manifestação.

O anúncio do premiê Benjamin Netanyahu foi alvo de críticas da oposição, que o acusam de endurecer as regras para encerrar as semanas de protestos contra o governo. Nesta quinta-feira (24), milhares de pessoas passaram pelo aeroporto de Tel Aviv temendo que o tráfego aéreo seja paralisado novamente. Com 212 mil casos em uma população de quase 9 milhões de habitantes, Israel tem a maior taxa de infecção por coronavírus per capita do mundo.

*Com informações da repórter Livia Fernanda