Jovem e padrasto morrem em tiroteio no Rio; família diz que disparos partiram da PM

Terceira vítima dos tiros na periferia da cidade sobreviveu e é testemunha-chave do caso

  • Por Jovem Pan
  • 28/09/2021 07h36 - Atualizado em 28/09/2021 10h29
Marcos Vidal/Futura Press/Estadão ConteúdoTiroteio na periferia do Rio de Janeiro mata jovem e padrasto

A corregedoria da Polícia Militar (PM) do Rio de Janeiro está investigando a morte do jovem Samuel Vicente, de 18 anos, e do padrasto dele, Wiliam Vasconcelos, 38, em Anchieta, bairro da periferia da cidade. Os dois teriam ficado no meio de um tiroteio que ocorreu entre bandidos e PMs e sido confundidos com criminosos. Segundo a família deles, as balas que os atingiram foram disparadas de armas de policiais. Os homens estavam em uma moto com a jovem Camile Silva, também de 18 anos, seguindo para a comunidade de Saúde. Ela também foi atingida, mas sobreviveu. A moça é testemunha-chave para esclarecer o que realmente aconteceu. A PM afirma que agentes que faziam o patrulhamento na região foram atacados por bandidos armados. Após o confronto, eles teriam encontrado três suspeitos feridos e, com eles, três pistolas, carregadores, munições, conversor para submetralhadora, dois rádios comunicadores e drogas. As famílias das vítimas negam a versão da polícia e dizem que os jovens voltavam na garupa da moto de Wiliam de uma festa na região do Complexo do Chapadão.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga