Justiça da Argentina abre investigação contra Macri por suposto envio de armas à Bolívia

Denúncias da procuradoria do país latino afirmam que o ex-presidente enviou suprimentos bélicos com intuito de auxiliar na derrubada do governo de Evo Morales

  • Por Jovem Pan
  • 17/07/2021 08h25
EFE/JuanJo MartínMacri é investigado pela Justiça da Argentina

O Ministério Público da Argentina abriu nesta sexta-feira, 16, uma investigação para apurar se o ex-presidente Maurício Macri mandou armas para a Bolívia para apoiar o que ficou conhecido como o golpe contra Evo Morales. O atual presidente argentino, Alberto Fernández, tem feito coro às acusações e chegou a pedir desculpas ao povo boliviano pelo envio do armamento. As investigações da Justiça da Argentina mostram possíveis indícios de que o então presidente Mauricio Macri tenha enviado armas e munição à Bolívia em 2019 para reprimir os apoiadores de Evo Morales. Ele tinha acabado de renunciar, acusado por denúncias de fraude na eleição e manifestações contra o governo. Aliados de Morales e alguns analistas denunciaram um golpe e milhares de pessoas foram às ruas protestar. O novo governo respondeu reprimindo os atos de maneira violenta. A Justiça argentina agora quer saber se a gestão Macri enviou material bélico para ser usado na repressão. Entre as autoridades que serão investigadas estão o próprio ex-presidente Macri e dois ex-ministros: Patricia Bullrich, da Segurança, e Oscar Aguad, da Defesa. Todos têm negado a acusação de interferência internacional e o envio de armas.

*Com informações da repórter Letícia Santini