Lideranças do PSDB em Goiás anunciam apoio a Eduardo Leite para prévias tucanas

Em carta, membros do partido dizem que o governador representa ‘o caminho do equilíbrio, reconciliação nacional, harmonia, da política que integre a inclusão social e o desenvolvimento econômico’

  • Por Jovem Pan
  • 06/10/2021 07h26 - Atualizado em 06/10/2021 08h35
MATEUS BONOMI/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDOLeite vai disputar a candidatura da sigla à presidência da República com o governador João Doria, e com o ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto

As lideranças do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) em Goiás declararam apoio ao governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, nas prévias do partido. Leite vai disputar a candidatura da sigla à presidência da República com o governador de São Paulo, João Doria, e com o ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto. A carta diz que Leite “representa o caminho do equilíbrio, da reconciliação nacional, da harmonia, da política que integre a inclusão social e o desenvolvimento econômico”. O grupo completa que a indicação “sai da convicção” de que é preciso “buscar uma candidatura que preze por valorizar e resguardar os valores estabelecidos na gênese do PSDB”. O posicionamento é assinado pelo ex-governador e presidente licenciado do diretório, José Eliton; o ex-deputado federal e integrante da executiva nacional, Giuseppe Vecci; o ex-presidente do diretório de Goiás, Jonathas Silva; os ex-presidentes do diretório metropolitano de Goiânia, Júlio César Costa e Eurípedes Jeronimo, e o presidente do PSDB Goiás Jovem, Rodrigo Rizzo.

A carta, no entanto, não é acompanhado pelo diretório, expondo ainda mais o racha dentro da sigla. Em nota, o presidente interino, Marconi Perillo, afirmou que o diretório “não se reuniu e não tomou qualquer tipo de deliberação em relação a oficializar apoio a quaisquer candidaturas até agora”. As lideranças já se reuniram com Leite, Doria e Virgílio e pretendem ouvir o vereador goiano doutor Nelson Gillet. Só depois, de acordo com Perillo, “será avaliado se irá deliberar ou não sobre o tema”.

*Com informações da repórter Nanny Cox