Maia parabeniza Fernández e defende ‘parceria permanente’ entre Brasil e Argentina

  • Por Jovem Pan
  • 29/10/2019 06h26 - Atualizado em 29/10/2019 10h04
Marcelo Camargo/Agência BrasilMaia afirmou estar feliz porque a democracia da Argentina está viva e, de forma livre, a população elegeu os novos governantes

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, parabenizou o presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, e disse que é “preciso respeitar o resultado da eleição no outro país”.

Maia afirmou estar feliz porque a democracia da Argentina está viva e, de forma livre, a população elegeu os novos governantes para os próximos anos.

O presidente da Câmara ainda destacou a importância da relação entre Brasil e Argentina. “Os dois países tem interesses muito próximos no agronegócio, por exemplo. O mercado argentino é o terceiro mais importante pro Brasil. A gente precisa respeitar o resultado das eleições, que aconteceram de forma democrática.”

Já o presidente Jair Bolsonaro disse lamentar o resultado da eleição do último domingo (27) e afirmou que não pretende parabenizar Alberto Fernández pela vitória.

Em viagem ao Oriente Médio, o presidente disse, no entanto, que não vai se indispor com o novo governo e que vai esperar para ver qual a linha que o presidente eleito vai adotar.

Um dia depois da vitória em primeiro turno, Fernández se reuniu na Casa Rosada com o atual presidente, Maurício Macri, para iniciar o processo de transição de Governo. Nas ruas, a vitória da chapa que tem a ex-presidente Cristina Kirchner como vice dividiu opiniões.

A aposentada Ángela Marino, de 74 anos, disse que não é fácil “consertar o país”, mas que, embora não acredite, espera que o novo governo consiga aumentar os salários, por exemplo.

A também aposentada Silvia Rodríguez, de 65 anos, disse que o futuro governo de Alberto Fernández é uma interrogação porque ele ainda não apresentou as políticas que vão ser adotadas.

Já o bancário Óscar Medina, de 60 anos, acredita que o governo de Alberto Fernández vai pagar as dívidas do país. Ele defende que a Argentina vai sair da crise econômica, mas que isso terá custos.

Nesta segunda-feira, o principal índice da bolsa de valores de Buenos Aires apresentou forte volatilidade. Na abertura das negociações, o índice apresentou alta de 6%, mas encerrou o dia em queda de 3,9%.

O dólar teve queda de 0,8% em meio às medidas do Banco Central do país para conter a alta da moeda norte-americana.

Em relação ao real, o peso argentino subiu 0,9% e terminou cotado a 0,067 centavos de real.

*Com informações do repórter Afonso Marangoni