Ministério diz que Congresso deve decidir sobre isenções na conta de luz

O ministro estuda os impactos sobre possíveis postergações e ressalta que a inadimplência média do brasileiro em relação à conta de luz está em queda

  • Por Jovem Pan
  • 23/07/2020 07h51 - Atualizado em 23/07/2020 09h31
Isac Nóbrega/PRSegundo o ministro, o consumidor não pode ser onerado, ainda mais em períodos de crise. Ele acrescenta que o consumo de energia no Brasil deverá se igualar, nos próximos meses, aos índices de 2019

O ministério de Minas e Energia disse que Congresso Nacional é soberano para estender o prazo de isenção de tarifa ao consumidor de baixa renda. Em abril, o governo federal editou uma medida que estipulava o limite de 30 de junho, mas o relator na Câmara quer ampliar o benefício a até 31 de agosto. Já no senado, um projeto de Lei proíbe aumentos ao longo de 2021. O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, ainda estuda os impactos sobre possíveis postergações e ressalta que a inadimplência média do brasileiro em relação à conta de luz está em queda. Segundo o ministro, o consumidor não pode ser onerado, ainda mais em períodos de crise. Ele acrescenta que o consumo de energia no Brasil deverá se igualar, nos próximos meses, aos índices de 2019.

Ao ser questionado sobre a privatização da Eletrobras, Bento Albuquerque classifica o processo como prioritário. O ministro espera que o congresso aperfeiçoe o plano de venda da Eletrobras e confia na aprovação até o fim do ano. Bento Albuquerque promete anunciar em agosto os cronogramas dos leilões de energia que estavam suspensos por causa da pandemia da Covid-19.

*Com informações da repórter Camila Yunes