Ministério da Saúde anuncia nesta terça plano de vacinação contra Covid-19

A ideia é definir publico alvo e como será a distribuição das doses; risco de segunda onda da doença preocupa autoridades

  • Por Jovem Pan
  • 01/12/2020 10h33 - Atualizado em 01/12/2020 10h42
EFE/EPA/SIPHIWE SIBEKOO governo federal vai definir se será considerado também, por exemplo, a gravidade da situação em cada região para possível distribuição das doses

O Ministério da Saúde deve anunciar a primeira versão do plano de vacinação contra Covid-19 nesta terça-feira, 1º. A ideia é definir publico alvo e como será a distribuição das doses. Isso vai depender, no entanto, no número de vacinas que estarão disponíveis e quais serão elas, uma vez que existe uma diferença com relação ao armazenamento e cada uma delas. O governo federal vai definir se será considerado também, por exemplo, a gravidade da situação em cada região para futura distribuição. Atualmente, o ministério da Saúde distribui de forma igualitária as vacinas que fazem parte do calendário nacional.

No Distrito Federal, cresce a preocupação sobre o risco de uma segunda onda da Covid-19. O governo local está preocupado com o aumento no número de casos em Brasília e por isso alerta que é preciso manter as medidas de distanciamento. Caso contrário, novas restrições poderão ser anunciadas. O secretário de saúde do Distrito Federal, Osnei Okamoto, pretende se reunir com representantes da Federação do Comércio para buscar formas de conscientizar a população, uma vez que o entendimento é que o problema da Covid-19 só será totalmente resolvido depois de uma vacinação maciça no país. “Nós ficamos muito preocupados porque temos observado que a população não está tomando os devidos cuidados necessários em relação à transmissão do coronavírus”, disse.

No comércio, bares e restaurantes já praticamente voltaram ao funcionamento normal. Apenas as escolas públicas continuam totalmente fechadas. O secretário explica, por exemplo, que 30 das 34 regiões administrativas tiveram aumento no número de casos nas últimas semanas. Por conta disso, o governo anunciou na segunda-feira, 30, uma contratação emergencial de novos médicos, que vão ajudar no atendimento hospitalar que voltou a subir. Okamoto explica que nada será suficiente se a população não colaborar e que, apesar das atividades terem sido retomadas, ainda não é hora de abandonar as medidas de prevenção já conhecidas. “As pessoas tem que tomar as devidas medidas de proteção contra o coronavírus, que é evitar aglomerações, que é utilizar a máscara, que é lavar as mãos utilizando água e sabão ou também o uso do álcool gel. Isso é muito importante para que a gente possa evitar a propagação das transmissões no Distrito Federal.”

*Com informações da repórter Luciana Verdolin