Ministério diz que Salles tentou ‘conciliar meio ambiente com desenvolvimento econômico’

Ex-ministro pediu exoneração do cargo em meio à pressões por suposto favorecimento a madeireiras; parlamentares de oposição pedem apreensão de passaporte por risco de ‘fuga internacional’

  • Por Jovem Pan
  • 25/06/2021 06h35 - Atualizado em 25/06/2021 16h52
Dida Sampaio/Estadão Conteúdo - 19/05/2021Ricardo Salles pediu exoneração do cargo em meio à pressões por suposto favorecimento a madeireiras

Após a saída de Ricardo Salles, o Ministério do Meio Ambiente saiu em defesa do trabalho desempenhado pelo agora ex-ministro à frente da pasta. No comunicado, a pasta afirmou que “Salles, demais ministros e o presidente da República, Jair Bolsonaro, trabalharam por dois anos e meio para conciliar a defesa do meio ambiente com o necessário desenvolvimento econômico sustentável”.  O ministério ressaltou ainda que, “respeitando e valorizando todos os setores produtivos, através de uma agenda liberal, durante a gestão de Ricardo Salles foi possível reforçar a preservação do meio ambiente e trazer mudanças necessárias, com bom senso e respeito às leis, colocando as pessoas no centro das atenções”. Na quarta-feira, 23, Salles pediu exoneração do cargo em meio à pressões por suposto favorecimento a madeireiras.

Parlamentares da oposição entraram com pedidos no Supremo Tribunal Federal (STF) para que o passaporte de Ricardo Salles, que é alvo de dois inquéritos na Corte, seja apreendido. Eles alegam que há risco de uma “fuga internacional” do agora ex-ministro. No comunicado, o Ministério do Meio Ambiente assinala que o novo ministro, Joaquim Alvaro Pereira Leite, “saberá avançar ainda mais no aprimoramento das questões ambientais do Brasil, a maior potência agroambiental do planeta”.

*Com informações da repórter Camila Yunes