Ministro da Infraestrutura projeta investimentos de R$ 260 bilhões até 2022

Tarcísio Gomes de Freitas diz que as parcerias público privadas serão fundamentais para os próximos anos

  • Por Jovem Pan
  • 15/12/2020 08h58
Frederico Brasil/Estadão ConteúdoApesar da crise, governo alega que mais de 30 obras foram tocadas ao longo do ano

Ministério da Infraestrutura exaltou o funcionamento da logística nacional na pandemia e projetou investimentos de R$ 260 bilhões até 2022. Apesar da crise, o governo alega que mais de 30 obras foram tocadas ao longo do ano e projeta, ao menos, 50 novas concessões. Em São Paulo, a reforma da pista do aeroporto de Congonhas, por exemplo, terminou em setembro. Ao fazer um balanço de 2020, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, destacou que a logística funcionou durante a pandemia. “Não faltou gás de cozinha, combustível, alimento nos supermercados, era fundamental que a logísitca funcionasse para que a gente pudesse ter o melhor enfrentamento. Conseguimos escoar uma safra recorde, dar vazão aos nossos produtos, dar resposta aos setores da economia que foram muito resilientes, como o setor do agro, como o setor mineral, isso foi muito importante para que a economia continuasse pulsando neste ano.”

Tarcísio Gomes de Freitas acrescentou que as parcerias público privadas serão fundamentais para os próximos anos. O ministro da Infraestrutura prometeu novos leilões e aposta na melhoria da malha viária do país. “A meta relmnte é concluir esses leiçoie e contratar os R$ 260 bilhões até o final de 2022. A gente viu que o ano de 2021 será um ano muito forte em termos de concessões. Nós já estamos trabalhando muito forte na estruturção dos ativos que virão na sequência”, diz. Questionado sobre a relação do governo com o Congresso, o ministro da Infraestrutura elogiou a aproximação entre executivo e legislativo. Tarcísio Gomes de Freitas reiterou que o quadro da pasta é técnico e não teme interferências políticas. De acordo com o ministro, as obras de infraestrutura ao longo do ano ajudaram a reduzir em 11% o valor do frete agrícola. Os aeroportos de Foz do Iguaçu, no Paraná, Fortaleza, no Ceará, e Campo Grande, Mato Grosso do Sul, passaram por melhorias.

*Com informações da repórter Camila Yunes