Moraes suspende pedido de investigação contra Augusto Aras por prevaricação

Notícia-crime foi apresentada pela Associação Brasileira de Imprensa e acusava o procurador-geral de proteger o governo federal e a família do presidente Jair Bolsonaro de inquéritos

  • Por Jovem Pan
  • 10/09/2021 07h00 - Atualizado em 10/09/2021 09h55
WALLACE MARTINS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOAlém de Aras, a notícia-crime também denunciava o vice-procurador-geral, Humberto Jacques de Medeiros, e a subprocuradora Lindora Araújo

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu a análise de um pedido para que o Conselho Superior do Ministério Público abrisse processo contra o procurador-geral da República, Augusto Aras, por prevaricação. O conselho é o órgão do Ministério Público responsável por investigações contra a Procuradoria da República (PGR). A notícia-crime foi apresentada pela Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e também denunciava o vice-procurador-geral, Humberto Jacques de Medeiros, e a subprocuradora Lindora Araújo, principais auxiliares de Aras. A entidade de imprensa acusou Aras por, supostamente, proteger o governo federal e a família do presidente Jair Bolsonaro de investigações. Moraes atendeu ao pedido de Aras e suspendeu a análise. O ministro argumentou que os fatos relatados já tinham sido arquivados em outro pedido de investigação, feito por um grupo de senadores. Eles acusavam o procurador-geral por se omitir diante dos ataques de Bolsonaro ao sistema eleitoral, de não defender o regime democrático e não fiscalizar o cumprimento da lei no combate à pandemia.

*Com informações do repórter Vitor Brown