Mourão diz que não tem de onde tirar dinheiro para Renda Cidadã

O general confirmou que a equipe econômica voltou atrás na ideia de usar parte dos precatórios e dos recursos do Fundeb para custear o programa

  • Por Jovem Pan
  • 02/10/2020 05h30
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDOO vice-presidente nega, no entanto, nega que o governo esteja perdido

O vice-presidente da república, Hamilton Mourão, afirma que o governo não tem da onde tirar dinheiro para bancar o Renda Cidadã. O general confirmou que a equipe econômica voltou atrás na ideia de usar parte dos precatórios e dos recursos do Fundeb para custear o programa. A decisão ocorreu após a repercussão negativa da saída encontrada para a criação do benefício, que substituiria o auxílio emergencial a partir do ano que vem. Mourão nega que o governo esteja perdido, e lembra que há apenas duas alternativas para garantir renda à parcela da população que ficará sem renda caso perca a assistência do estado. “Ou você vai cortar gastos em outras áreas e transferir esse recurso para o programa, ou você vai sentar com o Congresso e propor algo diferente.”

A proposta de criação de um novo imposto, cuja arrecadação poderia ser utilizada para bancar não só a manutenção da desoneração da folha de pagamento de setores da economia mas também a criação do Renda Cidadã, seria incluída na Reforma Tributária, já em análise no Congresso. Mas diante do alerta de parlamentares de que não há ambiente político para discutir a questão neste momento, e que a apresentação da proposta poderia travar a tramitação da reforma como um todo, o governo está resistindo em enviar a proposta. De qualquer forma, Mourão acredita que o texto que já está sendo debatido pode avançar ainda neste ano. O vice-presidente também comentou, nesta quinta-feira, 1º, a troca de farpas entre o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, e o ministro da Economia, Paulo Guedes. Segundo ele, essa é uma questão pessoal e relativa, que já ocorrei outras vezes.

*Com informações do repórter Antônio Maldonado