Mudanças climáticas: O que devemos fazer para garantir o nosso futuro

Relatório alerta para a necessidade de alterações no estilo de vida e consumo; pauta ambiental é tema central de reuniões internacionais e motivo para entraves diplomáticos

  • Por Jovem Pan
  • 23/07/2021 08h29 - Atualizado em 23/07/2021 08h31
Jonas OliveiraAtitudes sustentáveis nascem de uma consciência ambiental, que tem despertado nos últimos anos

As mudanças climáticas previstas por cientistas não são mais previsões alarmistas para o futuro. Os impactos das ações humanas sobre o clima estão acontecendo agora. A vida agitada das grandes cidades e a paisagem de concreto parecem não dar espaço para o verde. Atitudes sustentáveis nascem de uma consciência ambiental, que tem despertado nos últimos anos. São nos locais mais inesperados que atitudes verdes ganham espaço. Entre elas está a criação de uma horta no teto de um shopping da maior metrópole brasileira, com a plantação de alface, tomate, limão, manjericão, morango, berinjela, uma grande variedade de frutas, ervas e verduras. Os seis mil metros quadrados do telhado verde do Shopping Eldorado contrasta com o cinza da cidade de São Paulo provando que é possível realizar ações e hábitos sustentáveis. O reaproveitamento de quase 300 toneladas de lixo, não é o único benefício que o projeto traz. Para o superintendente do centro comercial, Sergio Nagai, é perceptível a conscientização entre os funcionários que participam do processo.

“Eles entendem essa questão da sustentabilidade, isso é visível para eles. Não é um trabalho adicional, as pessoas que trabalham são muito orgulhosas desse projeto. E tem o benefício adicional do condomínio que é a redução do custo de energia, porque toda essa horta forma uma camada de isolante térmico que acaba reduzindo a temperatura interna do shopping. Com isso, há o menor consumo de energia com ar condicionado”, afirmou. O projeto começa na praça de alimentação do local. Os funcionários separam o lixo orgânico do reciclável e colocam todo o resto de comida para a compostagem. Ao todo, 80% do lixo orgânico é reaproveitado para virar adubo. Depois disso, as sobras de alimentos passam por mais uma triagem e os restos de comida recebem enzimas extraídas de algas, catalizadores e minerais que aceleram o processo e retiram o cheiro desagradável. O resultado é um composto orgânico que parece terra pronto para ser utilizado no cultivo agrícola.

“Esse projeto começou em 2012, nosso grande objetivo era reduzir a quantidade d elixo que mandamos para o aterro sanitário. temos o projeto de ser o primeiro shopping a ter emissão zero de lixo, estamos nesse caminho. Queremos fazer o melhor para a comunidade ao nosso redor. É um projeto inovador no sentido de atitude, no sentido tecnológico não tem nada diferente, são todas tecnologias antigas. inovador é o fato de termos a atitude de fazer e acho que todas as empresas conseguem fazer, explica. A redução do consumo de carne vermelha, com substituição por frutas e vegetais, pode diminuir as emissões de gases causadores do estufa em até 70% até 2050. A última lição do relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, é categórica: “Precisamos redefinir nosso estilo de vida e consumo”. Para haver transformação, a mudança precisa acontecer em todos os níveis: individual, comunitário, nos negócios, instituições e governos.

O governador de São Paulo, João Doria, assinou um decreto que inclui São Paulo no programa “Race to Zero”, ou “Corrida para o Zero” das Organizações das Nações Unidas. O objetivo é diminuir a emissão de gases responsáveis pelo Efeito Estufa. “Neste plano, estabelecemos metas intermediárias para o período 20,30 e até 40, avançando de forma escalona nas medidas de redução da emissão de carbono no Estado de São Paulo. Em 12 meses também vamos ter o plano de energia, com horizonte para melhorias da nossa matriz energética”, disse o governador. A pauta ambiental também virou tema central de discussão nas reuniões internacionais, sendo até mesmo motivo de entraves diplomáticos. Promessas de líderes mundiais na Cúpula do Clima, incluindo as do presidente Jair Bolsonaro, serão acompanhadas de perto. “Determinei que nossa neutralidade climática seja alcançada até 2050”, afirmou o mandatário na ocasião. É consenso entre cientistas que um evento extremo de uma região acentua cada vez mais tragédias do outro lado do planeta. Resta saber se governos, diplomatas e a sociedade aprenderam a lição.

*Com informações da repórter Lívia Fernanda