Novo Bolsa Família custará até R$ 28 bilhões a mais, diz Funchal

Cálculo levaria em consideração o aumento de pelo menos 50% do benefício e a expansão do número de beneficiados no país

  • Por Jovem Pan
  • 14/08/2021 07h36
Foto: Jefferson Rudy/Agência SenadoSecretário prevê expansão no número de beneficiados

O reajuste no valor do novo Bolsa Família deverá custar entre R$ 26 bilhões e R$ 28 bilhões a mais em 2022 se o valor se mantiver nos R$ 300. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira, 13, pelo secretário especial de Tesouro e Orçamento do Ministério da Economia, Bruno Funchal durante vídeo-conferência da XP Investimento. Segundo ele, o cálculo leva em consideração o aumento de pelo menos 50% no benefício e o aumento do número de beneficiados. Ele ressalta, porém, que é preciso ficar atento para evitar que o gasto extra acabe significando aumento na inflação.

“Tem que estar cada vez mais claro que um programa que é muito importante, que é este novo programa assistencial, o Auxílio Brasil, que é dado como prioridade de governo, precisa dos outros dois. Então, na verdade, os três estão amarrados. Andando, eu preciso para lançar um novo programa resolver o problema do precatório e andar com a reforma do IR ou com as medidas de compensação”, afirmou. De acordo com ele, o governo ainda discute formas de financiamento do novo programa social. “A compensação está dentro da reforma tributária, que é a parte da tributação de dividendos, que é a fonte desse programa. Esse é o que está rodando. Qual seria um plano B? A gente precisa enviar um plano, vai enviar, até meados de setembro, um plano de redução de gastos tributários”, afirmou. O secretário, no entanto, admite a possibilidade de aumento da inflação e que isso interfira nos resultados do fim do ano.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin