Novo Bolsa Família terá valor de ‘no mínimo’ R$ 300, diz Bolsonaro

Segundo o presidente, a proposta é que o programa social esteja em vigor em novembro

  • Por Jovem Pan
  • 20/07/2021 07h36 - Atualizado em 20/07/2021 10h47
MATEUS BONOMI/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO - 26/05/2021Bolsonaro também disse que está recuperado e bem de saúde após ter passado cinco dias internado em São Paulo

O presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a falar sobre o novo Bolsa Família, programa que deve centralizar os atuais projetos sociais do governo federal. Segundo ele, o benefício será de no mínimo R$ 300. A proposta é que o programa seja instituído a partir de novembro, quando se encerra a prorrogação do auxílio emergencial. “Pretendemos, em novembro, já termos um novo Bolsa Família. O valor será no mínimo R$ 300. Hoje em dia, a média equivale a R$ 192, então vamos passar isso para R$ 300. É um pouco mais de 50% de reajuste”, disse em entrevista à rádio Nacional da Amazônia. Anteriormente, o ministro João Roma há havia afirmado à Jovem Pan que a pasta da Cidadania estava em conversa com a equipe econômica de Paulo Guedes para “chegar o mais próximo possível” do valor. Além de falar sobre o projeto social, Bolsonaro também disse que está recuperado e bem de saúde após ter passado cinco dias internado em São Paulo para tratar uma obstrução intestinal.

“Estou bem, 100%, tive uma obstrução intestinal que foi agravada com a crise de soluço. Só quem já teve soluço por vários dias sabe o que é isso e fui para São Paulo para ser submetido a uma cirurgia. Graças a Deus o quadro evoluiu e, no dia seguinte, sinalizou para não fazer a cirurgia. Isso tudo em função da facada que recebi em setembro de 2018″, afirmou. Boa parte da entrevista teve como foco as ações do governo na região amazônica. O presidente disse que quer garantir aos índios os mesmos direitos de fazerem em suas terras o que os fazendeiros fazem em suas propriedades. Assim, segundo o mandatário, haverá mais liberdade e dignidade às populações indígenas do Brasil. “O índio vai poder garimpar. Se abrir uma estrada na terra dele, ele vai poder cobrar pedágio legal. Vai poder fazer pequenas centrais hidrelétricas, vai poder plantar na sua terra”, concluiu. O presidente também comemorou o avanço da vacinação contra a Covid-19 pelo país, citando que o Brasil é uma das cinco nações mais avançadas na imunização no mundo.

*Com informações do repórter Fernando Martins