OPAS pede que países não retrocedam em medidas de combate ao coronavírus

A entidade alertou que será necessário continuar com os “métodos tradicionais” de proteção até que uma vacina alcance grandes parcelas da população

  • Por Jovem Pan
  • 24/09/2020 05h40 - Atualizado em 24/09/2020 07h47
EFE/EPA/ANDY RAINA OPAS também lamentou que os Estados Unidos tenham atingido a marca de 200 mil mortes pela doença

A Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) fez um apelo na quarta-feira, 23, para que os países se mantenham realistas enquanto a vacina contra a Covid-19 não chega. A entidade alertou que é necessário continuar com os “métodos tradicionais” contra o avanço do vírus, como testagem em massa e rastreamento de infectados. Mesmo com a imunização, a OPAS reforçou que será preciso manter o distanciamento social, o uso de máscaras em público e medidas de higiene das mãos até que a vacina alcance grandes parcelas da população.

Apesar de otimista, a diretora da OPAS, Carissa Etienne, disse que não “há bala de prata” e que o mundo não deve colocar todas as esperanças na vacina. O diretor assistente da entidade, o brasileiro Jarbas Barbosa, reforçou que mesmo em locais com tendência de redução, o nível de transmissão continua elevado. A OPAS também lamentou que os Estados Unidos tenham atingido a marca de 200 mil mortes pela doença e se mostrou preocupada com a situação do Brasil, Peru, Colômbia, México e Argentina, que continuam entre os 10 países mais atingidos pela pandemia.

*Com informações da repórter Nanny Cox