Operação da Polícia Civil mira suspeita de corrupção em sindicato de São Paulo

As acusações envolvem representantes do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano com empresas que atuam na capital paulista

  • Por Jovem Pan
  • 04/12/2020 10h41 - Atualizado em 04/12/2020 10h45
MARX VASCONCELOS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 29/09/2020Polícia Civil

O Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo está sendo investigado pela Polícia Civil. Segundo as autoridades, crimes como lavagem de dinheiro, organização criminosa, peculato, usura e falsidade ideológica eram rotina. As acusações envolvem os representantes da associação com empresas de ônibus que atuam na capital. A ação batizada de “Fim da Linha” é coordenada pelo 4º DP de Guarulhos, na Grande São Paulo. Segundo o delegado que comanda a operação, Fernando Santiago, a hierarquia da organização é bem estabelecida.

Entre os locais de investigados, está a sede do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo, na Liberdade, região central da capital paulista. Ela foi um dos principais alvos de busca onde foram apreendidos documentos e computadores que estão sob análise. Um dos supostos esquemas funcionava da seguinte maneira: as empresas de ônibus pagavam uma espécie de “salário”, uma propina mensal, para os representantes dos sindicatos. Assim, eles se propunham a fazer vista grossa a todas as irregularidades trabalhistas das quais deviam fiscalizar. O Sindmotoristas se manifestou através de uma nota de esclarecimento. Nela, é dito que a entidade se coloca à disposição das autoridades e que se compromete com a classe trabalhadora, ao contrário do que foi propagado pelas acusações anteriores.

*Com informações da repórter Beatriz Carapetto