‘Os leilões são uma demonstração de confiança do setor privado com o Brasil’, diz Tarcísio de Freitas

Para o ministro, a agenda de concessões iniciada na quarta-feira, 7, está sendo uma ‘semana de vitórias’ para a pasta

  • Por Jovem Pan
  • 09/04/2021 11h48 - Atualizado em 09/04/2021 18h07
NAYRA HALM/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOO ministro Tarcísio de Freitas estava na sede da B3, em São Paulo, para leiloar cinco portos brasileiros

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, comentou, nesta sexta-feira, 9, na sede da B3, em São Paulo, sobre os leilões que estão sendo realizados durante a semana. A agenda de concessões foi iniciada na quarta-feira, 7, com o leilão de 22 aeroportos, em 12 Estados. Na quinta-feira, 8, ocorreu a concessão da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol 1), entre os municípios baianos de Ilhéus e Caetité, à Bahia Mineração S.A (Bamin) por R$ 32,730 milhões. Nesta sexta-feira, cinco terminais portuários serão leiloados, sendo quatro no Porto de Itaqui, no Maranhão, e um no Porto de Pelotas, no Rio Grande do Sul. “O leilão de hoje fecha uma semana que foi de vitória para nós. Nós tivemos, na quarta-feira, 22 aeroportos transferidos para a iniciativa privada. Na quinta-feira, uma ferrovia. E hoje a gente fecha a semana com o objetivo de contratar os 10 bilhões de investimento do leilões”, disse o ministro em entrevista ao Jornal da Manhã.

“São quatro terminais de líquidos no Porto de Itaí e eles vão ajudar na logística de líquidos. Estamos falando de investimentos em tancagem e segurança. Então, aumentamos a oferta, a disponibilidade, a reserva para combustíveis, e, no final das contas, vamos ajudar a abastecer todo o Nordeste brasileiro e também interconectar com a região Norte”, explicou. “No sul, em Pelotas, nós teremos um terminal de carga geral. A carga mais importante lá é a madeira. Então são investimentos que vão ajudar de fato na integração do modo aquaviário e do transporte marítimo com o resto do Brasil. Vai ter uma relevância grande para a cabotagem.” O ministro afirmou que o alinhamento com Ministério da Economia sobre as concessões é total. “Para fazer a provisão da infraestrutura, de fato, não há outro caminho. O caminho é da iniciativa privada”, disse.

“Nessa semana, nós estamos contratando 10 bilhões de investimentos. É mais do que o orçamento anual do Ministério da Infraestrutura e não vai parar por ai.” Além das concessões realizadas durante essa semana, o ministério irá leiloar a a BR-153 Oeste-Tocantins no dia 29 de abril. O investimento previsto é de 14 bilhões. Na sequência, a BR 163- Pará será leiolada, com mais 2 bilhões de investimentos. Depois, a Nova Dutra por 14 bilhões. “Nós vamos nessa toada até contratar mais 84 bi até o final do ano. Até o final de 2022, devemos contratar 260 bilhões, isso significa 40 vezes o orçamento anual do Ministério da Infraestrutura hoje”, apontou. “Eu acho que os leilões dessa semana são uma demonstração de confiança do setor privado com o Brasil. No final, estão todos acreditando em um país que tem potencial para crescimento, que tem grande mercado consumidor, que conta com projetos e bons ativos, com a estruturação de projetos muito sofisticados, muito adequado a percepção de risco dos investidores.” Tarsício acredita que, com investimento começando a se materializar e a vacinação contra Covid-19 em andamento, o segundo semestre de 2021 foi completamente diferente do primeiro semestre. “Vamos retomar um ritmo muito maior de crescimento”, completou.