‘Pandemia talvez tenha se estabilizado, mas não acabou’, alerta secretário de Saúde de SP

Edson Aparecido destacou a importância de monitorar os casos nesse momento

  • Por Jovem Pan
  • 25/06/2020 09h28 - Atualizado em 25/06/2020 09h54
EFE/ Sebastiao MoreiraSecretário disse que o uso obrigatório das máscaras ajudou a reduzir a transmissibilidade da doença

O secretário de Saúde da Cidade de São Paulo, Edson Aparecido, garantiu que a situação da covid-19 no município está estável desde o dia 1º de junho, mas que mesmo assim é importante ficar atento para que os números não regridam. Em entrevista ao Jornal da Manhã, ele reforçou que os protocolos de reabertura dos setores liberados até o momento estão sendo rigorosos no aspecto de condições de funcionamento e horário.

Ele também destacou que o uso obrigatório das máscaras ajudou a reduzir a transmissibilidade da doença. “É muito importante que a gente fique muito atento a movimentação das pessoas na cidade para que esses dados que se estabilizaram não revertam. Vemos um avanço muito forte no interior e, mais para frente, pode acontecer um repique da contaminação aqui”, disse. De acordo com o secretário, mesmo com a retomada, a população está consciente porque sindicatos e associações dos setores relatam uma baixa frequência das pessoas.

Edson Aparecido reforçou a necessidade do monitoramento dos mil equipamentos de saúde e afirmou que 260 mil pessoas estão com suspeita de covid-19 na cidade. Elas estão sendo acompanhadas pela Saúde da Família e agentes comunitários. “Manter a atenção diariamente é importante, porque a pandemia pode ter até se estabilizado, mas ela não acabou.”

O secretário finalizou afirmando que o Hospital de Campanha do Anhembi cumpre todas as regras e que a Prefeitura não recebeu o relatório que vazou para a imprensa indicando irregularidades. Aparecido confirmou que, caso seja identificado, “o que tiver que ser corrigido, vai ser corrigido” e lembrou que mais de 6 mil vidas já foram salvas nos hospitais de campanha.