PF ouve ministros e exibe vídeo de reunião citada por Moro nesta terça-feira

  • Por Jovem Pan
  • 12/05/2020 06h07
Gabriela Biló/Estadão ConteúdoBolsonaro afirma que espera que apenas a parte envolvendo a questão das denúncias de Moro sejam divulgadas

A Polícia Federal vai exibir na manhã desta terça-feira (12), a um grupo de autoridades autorizadas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Celso de Melo, a gravação da reunião ministerial do ultimo dia 22 de abril, que foi citada pelo ex-ministro Sergio Moro no depoimento à PF.

Moro irá de Curitiba acompanhar a exibição do vídeo para ter certeza de que ele foi apresentado na íntegra, já que o presidente Jair Bolsonaro queria apresentar uma versão editada do encontro.

Bolsonaro afirma que espera que apenas a parte envolvendo a questão das denúncias de Moro sejam divulgadas, uma vez que durante a reunião foram discutidas questões internacionais importantes. E, como era uma reunião privada, todos expuseram suas opiniões sem filtros.

O presidente disse que está sendo honesto e que não tem nada a esconder, mas que espera das autoridades que informações que não tenham ligação com as acusações de interferência na Polícia Federal sejam desconsideradas.

Como a investigação corre sem segredo de Justiça, caberá ao ministro Celso de Melo decidir o que poderá ser divulgado do vídeo em questão.

Na segunda (11), o ex-diretor da Polícia Federal Maurício Valeixo prestou depoimento por cerca de 6 horas na superintendência em Curitiba. Ele afirmou que o presidente Jair Bolsonaro teria afirmado que queria na direção da Polícia Federal uma pessoa mais próxima a ele.

Valeixo ainda disse que a exoneração a pedido foi uma sugestão do próprio palácio do Planalto e que ele não teria pedido para sair, apesar de ter admitido que já estava cansado. Em Brasília prestaram depoimento o diretor da Abin, Alexandre Ramagem e o ex-superintendente do Rio de Janeiro, Ricardo Saadi.

Nesta terça serão ouvidos no Palácio do Planalto os ministros militares da Casa Civil, Braga Netto; da Secretaria de Governo, Eduardo Ramos; e da Segurança Institucional, General Augusto Heleno

*Com informações da repórter Luciana Verdolin