PIB do Reino Unido despenca 9,9% em 2020 e tem pior recessão desde 1709

Queda só não foi maior porque o mês de dezembro teve atividade intensa por conta do Natal

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 12/02/2021 07h41 - Atualizado em 12/02/2021 08h00
EFE/EPA/ANDY RAIN - 03/11/20Os próximos resultados do PIB local devem continuar negativos por conta do fechamento da sociedade desde dezembro

Nenhuma guerra, instabilidade política ou outra crise qualquer foi capaz de causar impacto tão negativo na economia britânica quanto o coronavírus. O Escritório Nacional de Estatísticas, equivalente local ao IBGE, divulgou nesta sexta-feira, 12, os dados do PIB do Reino Unido em 2020. A economia do país encolheu 9,9% no ano passado — o pior resultado desde 1709, quando o país enfrentou um dos piores invernos da história. A queda só não foi maior porque o mês de dezembro teve atividade intensa por conta do Natal, o que evitou uma segunda recessão.

Mas os efeitos do lockdown prolongado são inegáveis: o Reino Unido passa por sua segunda quarentena e ainda não sabe quando ela vai terminar. A expectativa é de que o lockdown continue por aqui pelo menos até abril, para evitar que uma nova onda de contaminações ocorra. O equilíbrio entre atividade econômica e saúde pública é bastante difícil de ser alcançado nas condições atuais. Lembrando que ainda existem os efeitos do Brexit, que ficaram escondidos por uma crise maior, mas também contribuem para o momento ruim. E os britânicos, que têm um dos países mais afetados pelo Covid-19, também têm a economia desenvolvida que mais está sangrando.

Os próximos resultados do PIB local devem continuar negativos por conta do fechamento da sociedade desde dezembro, mas a boa notícia é que a campanha de vacinação segue a todo vapor com um quarto da população adulta já imunizada. O número de casos positivos diários da doença pelo país caíram quase 30% nesta semana. As mortes foram reduzidas em 25% no mesmo período e as internações também sofreram queda de mais de 20%. A curva do coronavírus está para baixo agora — e os sacrifícios do campo econômico devem continuar por mais algumas semanas para tentar controlar a situação.