Polícia Civil do RJ cria força tarefa para combater crimes eleitorais

Dois candidatos a vereador na Baixada Fluminense foram mortos a tiros nas últimas duas semanas

  • Por Jovem Pan
  • 13/10/2020 06h55 - Atualizado em 13/10/2020 10h00
Agência BrasilOutro objetivo é garantir a segurança dos eleitores e evitar influencia de traficantes e milicianos na votação

Depois de dois assassinatos de candidatos a vereador na Baixada Fluminense nos últimos 15 dias, a Polícia do Rio de Janeiro decidiu criar uma força-tarefa para combater os crimes eleitorais no Estado. As divisões de homicídio da Polícia Civil e unidades especializadas da instituição vão atuar na prevenção de crimes na época de corrida eleitoral. Outro objetivo é garantir a segurança dos eleitores e evitar influencia de traficantes e milicianos na votação programada para o mês de novembro.

Um levantamento feito pela Polícia Civil, apresentado recentemente, revelou que dos 5 mil locais de votação no Estado, 672 sessões ficam em áreas de grande atuação do tráfico e de milicianos. Nessas áreas vivem quase 2 milhões de eleitores — 15% do eleitorado de todo o Estado do Rio de Janeiro. No final de semana, o candidato a vereador em Nova Iguaçu, Domingos Cabral foi morto a tiros quando estava em um bar com amigos. Há duas semanas, outro candidato, Mauro Miranda, também foi morto a tiros em um cerco de criminoso. Os dois casos são investigados pela divisão de homicídios da Baixada Fluminense.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga