Presidente da Petrobras diz que alta de combustíveis demonstra ‘critério técnico’

Joaquim Silva e Luna assegura que, mesmo com aumento do petróleo no mercado internacional e com a valorização do dólar, a política de preços da companhia não será alterada

  • Por Jovem Pan
  • 08/07/2021 12h34 - Atualizado em 08/07/2021 16h26
Tomaz Silva/Agência Brasil Foto do general Joaquim Silva e Luna O general Joaquim Silva e Luna assumiu o comando da Petrobras em abril

A nova gestão da Petrobras está sob prova de fogo com o aumento do petróleo no mercado internacional nos últimos dias e com uma ligeira valorização do dólar frente ao real. No Brasil, porém, a política de preço da companhia não será alterada e vai continuar se baseando em critérios estritamente técnicos. A garantia foi dada pelo presidente da Petrobras, o general da reserva Joaquim Silva e Luna, que assumiu o comando da empresa em abril deste ano. Até então, Joaquim Silva e Luna vinha saboreando apenas ajustes pra baixo do preço dos derivados. Porém, essa semana a companhia aumentou o preço de gasolina, diesel, GLP e gás para as distribuidoras. O dólar alto, especialmente mo mercado internacional, justifica esse aumento de preço. De acordo com Silva e Luna, apesar da empresa estar sobre prova de fogo, a política de preços será mantida, baseada em critérios técnicos e sem interferência externa. Os aumentos acontecem quando há movimentos estruturais no mercado de petróleo, e não apenas com movimentações conjunturais. Silva e Luna garantiu à Jovem Pan que não consultou o presidente Jair Bolsonaro sobre os aumentos em série. Porém, nesta quarta-feira, 7, Bolsonaro disse que procurou o presidente da Petrobras para que a empresa detalhe para a população a composição dos preços dos derivados que são vendidos pela estatal nas refinarias.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga