Prisão de supostos membros do PCC em SP subiu 134% em 2017, aponta MP

  • Por Jovem Pan
  • 26/01/2018 07h32
EFE/Antonio LacerdaO número é 134% superior na comparação com 2016, quando houve 340 prisões por supostos envolvimentos com a facção criminosa

Prisão de supostos membros do PCC em São Paulo dobrou em 2017. Entre janeiro e dezembro do ano passado, 795 pessoas, possivelmente envolvidas com a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), foram presas pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).

O número é 134% superior na comparação com 2016, quando houve 340 prisões por supostos envolvimentos com a facção criminosa.

Outro número destacado pelo Ministério Público de São Paulo foi a apreensão de imóveis e dinheiro em espécie em posse do crime organizado.

Durante o ano de 2017, foram apreendidos mais de R$ 25 milhões em espécie e 208 imóveis. Em 2016 havia sido 89 imóveis e um valor pouco superior a R$ 22 milhões em espécie.

Em nota, o promotor Amauri Silveira Filho, coordenador do Gaeco, acredita que as organizações criminosas têm como objetivo se beneficiar financeiramente praticando atividades ilícitas.

*Informações da repórter Neila Carvalho