Procon-SP dá dicas de como proceder para evitar golpes após roubo de celular

Em vídeo compartilhado nas redes sociais, entidade ensina como apagar dados do aparelho pela internet; casos de prejuízos financeiros após assaltos preocupam

  • Por Jovem Pan
  • 05/07/2021 09h15 - Atualizado em 05/07/2021 12h09
Marcelo Casall Jr/Agência BrasilVídeo com dicas foi divulgado nas redes sociais da entidade informando que o consumidor deve ser rápido após o crime para apagar os dados dos smartphones

O aumento de casos de roubo de celulares para golpe bancários como transferências, empréstimos e outras transações fez acender um alerta no Procon de São Paulo. A instituição busca dialogar com as operadoras e ensinar como se proteger dessas fraudes. Um vídeo com dicas foi divulgado nas redes sociais da entidade informando que o consumidor deve ser rápido após o crime para apagar os dados dos smartphones. A vítima deve procurar por um celular ou computador disponível e, para modelos Android, acessar android.com/find, entrar com seus dados e clicar em “Limpar dispositivo”. Já na plataforma IOS, o consumidor deve acessar icloud.com, entrar com seus dados e clicar em “Buscar iphone” e depois em “Apagar iphone”. O vereador paulistano Marlon Luz, conhecido por ter um canal no Youtube onde mostra seu dia a dia como motorista de aplicativo, gravou o momento em que foi roubado na semana passada, em São Paulo. Os criminosos chegaram a retirar mais de R$ 60 mil das contas bancárias do político.

“Tive que trocar as senhas no dia seguinte, tiraram todo o dinheiro da conta. Precisava pagar contas, todo mundo tem conta para pagar e não tinha dinheiro, tive que atrasar contas. Cadastrei as novas senhas, esqueci as novas senhas, fiquei com medo de usar aplicativos no celular, tive que usar só no computador e mesmo assim cadastrar novos dispositivos”, afirmou. O vereador chegou a levar o assunto à Câmara de São Paulo, onde recebeu apoio dos colegas para discutir o tema e dar mais segurança aos usuários. “Muitos colegas apoiaram uma CPI dos bancos em relação à segurança, mas o que mais vingou foi o Procon ou a Febraban exigindo dos bancos maior segurança em relação ao acesso dos aplicativos, isso foi muito bom. Também é exigência que as próprias plataformas que fazem os aparelhos celulares garantam mais segurança às transações bancárias”, explicou. O Procon se reuniu bancos, operadoras de telefonia e plataformas digitais para discutir o tema da segurança. Ficou definido que será disponibilizada uma central com as orientações que o consumidor deve seguir nesses casos.

*Com informações do repórter Fernando Martins