Profissionais de saúde da linha de frente da pandemia são homenageados em concerto em SP

Segundo secretário de Saúde, evento realizado na Sala São Paulo, visava agradecer médicos e enfermeiros; já o secretário de Cultura disse que o momento marcou a retomada do setor cultural

  • Por Jovem Pan
  • 19/10/2021 07h13 - Atualizado em 19/10/2021 10h49
Foto: Reprodução/YouTube/Osesp - Orquestra Sinfônica do Estado de São PauloConcerto da Osesp em homenagem aos profissionais da saúde na Sala São Paulo, no Centro de SP, na última segunda-feira, 18

A Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) fez uma homenagem, na Sala São Paulo, no centro da capital paulista, na última segunda-feira, 18, aos profissionais de saúde que atuam na linha de frente contra o novo coronavírus. O público foi composto por convidados especiais, como conta o Secretário de Saúde do Estado, Jean Gorynchtein: “Nós achamos por bem elencar todos os profissionais que estavam na linha de frente, médicos enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, psicólogos, para que nesse momento nós pudéssemos agradecer, de uma forma mais doce, todo o sofrimento que eles tiveram no dia a dia.

A orquestra foi comandada pelo regente Roberto Tibiriçá, com um repertório montado especificamente para a homenagem, passando por clássicos de Beethoven e Villa Lobos. O concerto para profissionais da saúde foi uma ação das secretarias estadual de Saúde e da Cultura. O secretario da pasta da Cultura, Sérgio Sá Leitão, destaca que a homenagem vem marcar um momento importante: que o segmento retoma as atividades culturais. “Agora, penso que o processo é irreversível e é muito bom que possamos voltar a nos encontrar em salas de espetáculos, como a Sala São Paulo e tantas outras”, afirmou.

A Osesp retomou os concertos presenciais em maio de 2021. De lá pra cá, gradualmente o publico vem aumentando. Mas há bastante tempo essa sala não ouvia tantas palmas, que, desta vez, foram para quem estava no palco e na plateia. A médica Silvia Storte, diretora de saúde do Departamento Regional de São José do Rio Preto, não conhecia a Sala São Paulo e ficou encantada. “Uma noite para ficar na história. Foram momentos muito difíceis, muito tensos, quando tivemos que ampliar nossos leitos de UTI, de enfermaria, mas, graças a Deus, agora, nós estamos começando a ver a luz no final do túneo”, comentou Storte. O fisioterapeuta fábio rodrigues se sentiu privilegiado por participar da homenagem: “A gente, nesses dois anos, nessa batalha, nessa linha de frente, vendo tantas coisas tristes, ser presenteado com esse momento e poder ter representado todos os que não puderam estar aqui é tocante. A gente precisava desse acalento no coração”.

*Com informações da repórter Carolina Abelin