Promotores denunciam por tentativa de feminicídio procurador que espancou colega

Demétrius Oliveira de Macedo foi preso na última quinta-feira e já responde a processos administrativo e disciplinar da prefeitura de Registro e da OAB

  • Por Jovem Pan
  • 24/06/2022 10h00 - Atualizado em 24/06/2022 11h20
Reprodução/Twitter/@Marlonluz procurador | Registro Procurador que agrediu chefe durante expediente no interior de São Paulo foi preso pela Polícia Civil

Segundo os promotores Ronaldo Pereira Muniz e Daniel Porto Coutinho, o procurador Demétrius Oliveira de Macedo tentou matar a procuradora-geral do município de Registro, em São Paulo, Gabriela Samadello Monteiro de Barros, de 39 anos. Os promotores alegam que houve intenção homicida por intermédio de golpes violentos desferidos principalmente contra a cabeça da vítima, o que só não se concretizou devido à intervenção de outras pessoas que presenciaram a ação. Dessa forma, a denúncia oferecida pelo Ministério Público à justiça do Estado de São Paulo contra Demétrius é por tentativa de feminicídio. O MP ainda pediu que o acusado permaneça preso. O agressor foi detido na última quinta-feira, 23, pela polícia civil em uma clínica em Itapecerica da Serra, ele já tinha tido a prisão preventiva decretada pela justiça

Demétrius foi afastado temporariamente do trabalho pela prefeitura de Registro, por 30 dias, sem direito a receber salário enquanto corre o processo administrativo que foi aberto pela administração pública contra ele. Ele também é alvo de processo disciplinar da Ordem de Advogados do Brasil, processo que deve ser concluído em até 90 dias e pode culminar na suspensão da carteira da OAB. O governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), usou as redes sociais para falar sobre a prisão do procurador: “Que a Justiça faça a sua parte agora e use contra ele todo o peso da lei. Agressor de mulher vai para a cadeia aqui em São Paulo. Denuncie sempre”.

*Com informações da repórter Carolina Abelin