Remédio da Pfizer reduz em 37% risco de morte por Covid-19, diz estudo

Estudo realizado por pesquisadores do Hospital Albert Einstein contou com a participação de 289 pacientes e apontou a eficácia do tofacitinibe; atualmente, o medicamento é indicado para artrite reumatoide

  • Por Jovem Pan
  • 17/06/2021 05h36 - Atualizado em 17/06/2021 10h04
Cadu Rolim/Estadão ConteúdoResultados demonstraram menor incidência de óbitos ou falência respiratória entre pacientes que receberam o fármaco após a manifestação dos primeiros sintomas

Um estudo realizado por pesquisadores do Hospital Albert Einstein, em parceria com a Pfizer, apontou que o medicamento tofacitinibe reduz em 37% o risco de morte ou falência respiratória em pacientes com quadro moderado que foram internados com pneumonia associada à Covid-19. Atualmente, o remédio é indicado principalmente para artrite reumatoide. A pesquisa foi realizada em um grupo de 289 pacientes adultos internados em 15 centros de tratamento espalhados por todo o país. Os resultados demonstraram menor incidência de óbitos ou falência respiratória entre pacientes que receberam o fármaco após a manifestação dos primeiros sintomas, quando o sistema imunológico começa a produzir uma resposta inflamatória exacerbada, momento em que órgãos como o pulmão e os rins são lesionados.

Os testes com o tofacitinibe também foram conciliados com corticoides e não interferiram no tratamento padrão já adotado pelos hospitais para o combate da doença. O estudo não avaliou a resposta do medicamento em casos leves ou graves. Embora o resultado seja promissor, isso não significa que se trata de uma nova opção para combater a infecção. A Pfizer ressalta que o medicamento não foi aprovado ou autorizado para uso contra a Covid-19 por nenhuma agência regulatória no mundo.

*Com informações da repórter Letícia Santini