Rio de Janeiro deve normalizar vacinação contra a gripe nesta quarta-feira

Estado teve aumento de 400% de síndrome gripal e a capital fluminense, 37%

  • Por Jovem Pan
  • 01/12/2021 09h27 - Atualizado em 01/12/2021 13h01
Banco de imagens/PixabayVacinação contra a gripe deve ser retomada nesta quarta-feira após paralização parcial na última terça por falta de imunizantes

A vacinação contra a gripe na cidade do Rio de Janeiro deve ser normalizada nesta quarta-feira, 1º de dezembro, após uma paralisação parcial na última terça por falta de vacinas. A doença tem tido um grande crescimento no número de casos na capital fluminense e no Estado. As unidades de pronto atendimento do Estado do Rio de Janeiro tiveram um aumento de 400% em síndrome gripal nos últimos sete dias. O indicador da circulação do vírus da Influenza aumentou para 41% em menos de uma semana. As autoridades de saúde tentam compreender melhor esse fenômeno, visto que as gripes são mais comuns em épocas frias. Para a Secretaria de Saúde do município, como nos dois anos a adesão à campanha de vacinação contra a gripe caiu, era natural haver um aumento no número de casos em um determinado momento. A taxa de adesão tem ficado entre 56% e 57% do público alvo.

Somente na cidade do Rio de Janeiro, de 14 a 20 de novembro, houve um aumento de 37% nos casos de síndrome gripal, quase 16.100 casos registrados. O maior número de ocorrências semanais desde o final do mês de outubro. A Secretaria Estadual de Saúde também acha que o crescimento dos casos de gripe pode estar relacionado à baixa cobertura vacinal. A capital fluminense já promoveu o dia D de vacinação contra a gripe. Agora é a vez da ação estadual. Esse dia D acontece no próximo sábado, 04, em parceria com o município e com o Ministério da Saúde. As duas pastas da saúde do Estado e do município destacam a importância da vacinação contra a gripe. A Secretaria Estadual de Saúde está recebendo um reforço de 200 mil doses da vacina contra a Influenza, doadas pelo Espírito Santo. Existe a possibilidade também de vacinas produzidas pelo Butantan, em São Paulo, serem encaminhadas ao Rio de Janeiro.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga