Rodrigo Garcia projeta ‘volta à normalidade’ a partir de 20 de agosto: ‘O grande dia’

Vice-governador está otimista a possível flexibilização dos protocolos sanitários em todo o Estado de São Paulo, mas afirmou que ainda não é possível ‘baixar a guarda’

  • Por Jovem Pan
  • 27/07/2021 08h32 - Atualizado em 27/07/2021 10h27
ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOExpectativa é que o governo estadual adote uma maior flexibilização dos protocolos sanitários a partir de agosto

O vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, se mostra otimista com a possível “volta à normalidade” no Estado. Com avanço na vacinação contra a Covid-19 e queda nos índices de mortes, internações e casos da doença, a expectativa é que o governo estadual adote uma maior flexibilização dos protocolos sanitários a partir do dia 1 de agosto, com projeção de reabertura ainda maior depois do dia 20, quando toda a população já deve ter recebido ao menos a primeira dose da vacina. “Com toda a população com no mínimo a primeira dose da vacina, no mês de setembro teremos maiores flexibilizações. Já propusemos eventos testes e existe um esforço para que a população possa se vacinar e tenha mais liberdade. […] A partir de 1 de agosto avançaremos [na reabertura] e depois de 20 de agosto teremos uma nova realidade no Estado de São Paulo”, afirmou ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan.

Embora esteja otimista com a retomada, Garcia ressaltou que não é hora de “baixar a guarda” e afirmou que não será possível, por exemplo, retirar automaticamente a obrigatoriedade do uso de máscara em locais públicos. “Países que fizeram isso deram um passo para trás”, afirmou. De acordo com o vice-governador, a proposta é que o cenário positivo no Estado também permita, futuramente, a volta obrigatória às aulas presenciais, desde que isso seja feito com “segurança”. Sobre a variante Delta, o político reconheceu que a nova cepa do coronavírus está presente no Estado, mas alertou que o “momento é de cautela, não de alarde”. “É mais contagiosa, mas a gente imagina que a vacinação avançando será suficiente para que controle da circulação do vírus e a volta à normalidade. […] As próximas semanas serão esclarecedoras para um caminho mais seguro de retomada econômica”, finalizou.