Estado de São Paulo bate marca de 4 milhões de infectados pelo coronavírus

Desde o início da pandemia, já são 137.236 vidas interrompidas pela Covid-19 nos municípios paulistas; atualmente, há 11.740 pacientes internados em decorrência da doença

  • Por Jovem Pan
  • 26/07/2021 09h56 - Atualizado em 26/07/2021 20h14
ALEX DE JESUS/O TEMPO/ESTADÃO CONTEÚDOCerca de 3,6 milhões de pessoas já estão recuperados, incluindo mais de 420 mil que foram internados e receberam alta hospitalar

São Paulo superou neste domingo, 25, os quatro milhões de infectados pela Covid-19 em todo o Estado. Do total, 3.686.000 já estão recuperados, sendo que mais de 420 mil foram internados e receberam alta hospitalar. Atualmente, há 11.740 pacientes internados em todo o Estado, seis mil estão em unidades de terapia intensiva (UTI) e cinco mil em enfermaria. Desde o início da pandemia, já são 137.236 vidas interrompidas pelo coronavírus em São Paulo. Apesar de certa redução no ritmo de casos nos últimos dias, o país está perto da marca de 550 mil mortos. Ao todo, 549.924 brasileiros não resistiram às complicações da doença e o total de casos confirmados se aproxima dos 20 milhões. Também neste domingo, o Ministério da Saúde completou 68 anos de existência. A pasta foi criada em 25 de julho de 1953. Em uma postagem nas redes sociais, o ministro Marcelo Queiroga celebrou a data e exaltou os servidores da pasta e o Sistema Único de Saúde (SUS).

“O servidor do ministério é parte disso, é capaz, é competente e dedicado. O servidor do Ministério da Saúde luta pelo mais nobre dos ideais: garantir a qualidade de vida da nossa nação. Já era muito grato a vocês como médico, sou mais grato como ministro da Saúde. Tenho orgulho de servir ao meu país ao lado de vocês”, disse, reforçando que todos no ministério trabalham para “ajudar o povo brasileiro”. “O ministério só consegue cumprir a sua missão no combate à pandemia se todos nós estivermos de braços dados e em sintonia. Nossa responsabilidade é diária, assim como o nosso empenho. Se fizermos tudo certo e trabalharmos com afinco, vamos salvar cada vez mais vidas e fortalecer a saúde do nosso país”, afirmou. O marco ocorre em meio à pior crise sanitária já atravessada pelo Brasil, com uma vacinação lenta e investigações de irregularidades envolvendo compra de imunizantes.