São Paulo deve receber até o fim de semana as doses da Pfizer para vacinar jovens, diz secretário

Início da imunização está previsto para o dia 18 de agosto; nos próximos dias, todos acima de 18 anos devem receber a primeira dose

  • Por Jovem Pan
  • 12/08/2021 08h34 - Atualizado em 12/08/2021 10h07
EFE/ Fernando Bizerra Jr -18/01/2021Em especial, neste final de semana, não será aplicada a segunda dose das vacinas

O secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, afirmou que o município deve receber as doses da vacina da Pfizer para imunizar os jovens de 12 a 17 anos até o fim de semana. De acordo com a Anvisa, até o momento, esse é o único imunizante liberado para a faixa etária. A vacinação deste grupo está prevista para ser iniciada na próxima quarta-feira, 18, inicialmente para quem tem comorbidades ou alguma deficiência. Segundo Edson Aparecido, 961 mil adolescente são esperados nos próximos dias. “Não recebemos as doses desse imunizante. Devemos receber até o fim de semana para, a partir do dia 18, iniciar a vacinação. Só não fizemos a convocação porque ainda não recebemos as doses. Temos estoque, neste momento, para fazer a cobertura vacinal até 18 anos”, explicou.

Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, ele detalhou como será a Virada da Vacina que vai acontecer no próximo fim de semana. Serão 34 horas ininterruptas de vacinação em quem tem entre 18 e 21 anos. A divisão foi feita da seguinte forma: das 7 horas às 19 horas do sábado, serão imunizadas as pessoas de 20 e 21 anos nos postos de saúde. Das 19 horas em diante, até às 7 horas do domingo, todos acima de 18 anos podem ser vacinados em 20 drive-thrus espalhados pela cidade. Já ao longo do domingo, até às 17 horas, o foco serão os jovens de 18 e 19 anos. A segunda-feira, 16, deve ser marcada pela repescagem de todo esse grupo. No total, são esperadas 600 mil pessoas. Em especial, neste final de semana, não será aplicada a segunda dose das vacinas. “Estamos chegando a 91% da população elegível, com mais de 18 anos, com pelo menos uma dose aplicada”, afirmou o secretário.

Entre os que não voltaram para a aplicação da segunda dose estão 199 mil pessoas. Segundo Edson Aparecido, esse número ainda deve crescer mesmo com a busca ativa realizada pelo agentes dos postos de saúde. “Nós já temos 38% das pessoas com a segunda dose aplicada. Dos que faltam, a maior parte são idosos que adoeceram e ficaram acamados ou que esqueceram. Por isso, toda semana, a gente faz a busca ativa. Liga e vai na casa de cada um aplicar. Neste final de semana isso não vai acontecer. No próximo, volta ao normal.” Sobre a preocupação com o variante Delta, o secretário afirmou que a São Paulo faz o sequenciamento genético de 700 testes semanalmente. Até agora, 149 casos foram confirmados. “Permanecemos com as barreiras sanitárias e a distribuição de máscara N95 para sintomáticos.” Hoje, na cidade, 36% dos leitos de UTI e 22% de enfermaria estão ocupados.