São Paulo lança projeto para acolhimento e capacitação do público feminino

Primeira fase do programa Casa da Mulher prevê a instalação de 20 unidades no Estado; expectativa é atender 37 mil empreendedoras em um ano

  • Por Jovem Pan
  • 24/08/2021 06h45 - Atualizado em 24/08/2021 08h01
ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOPrograma também vai contar com uma extensa rede de apoio, como a ONG Justiceiras, voltada ao auxílio às mulheres vítimas de violência

Com o objetivo de estimular o empreendedorismo e prestar apoio jurídico e psicológico às mulheres, o governo de São Paulo lançou, em parceria com as prefeituras, o programa Casa da Mulher. A primeira fase do projeto prevê a instalação de 20 unidades espalhadas pelo Estado, sendo que cada uma receberá um investimento de R$ 750 mil. O governo vai desembolsar R$ 50 milhões para incentivar o empreendedorismo feminino e deve atender, em até um ano, 37 mil mulheres. A secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, afirma que o programa atenderá principalmente as mulheres impactadas pela crise sanitária. “Nessa primeira etapa, o objetivo é ajudar as mulheres que foram tão impactadas pela pandemia, que migraram para o empreendedorismo por necessidade. A ideia é garantir que elas ocupem espaços de gestão, liderança, empreendedorismo no setor privado, público e social”, afirmou. O programa Casa da Mulher também vai contar com uma extensa rede de apoio, como a ONG Justiceiras, voltada ao auxílio às mulheres vítimas de violência.

*Com informações da repórter Camila Yunes